Falta aos tucanos capacidade de executar obras de transporte

24/05/2012

Imobilidade urbana

Falta aos tucanos capacidade de executar obras essenciais no transporte público

Estudo feito pela Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo sobre a Mobilidade Urbana no Estado foi apresentado pelos deputados petistas à imprensa, nesta quinta-feira (24/5).

“Analisando os dados, o que podemos constatar é que, por um lado, não há prioridade do governo do Estado para a mobilidade urbana e, por outro, fica claro a falta de capacidade de planejamento, gestão e execução dos tucanos nas obras, principalmente do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos)”, alertou o líder da Bancada, deputado Alencar Santana.

O levantamento aponta que entre 1997 e 2011, os seguidos governos do PSDB em São Paulo deixaram de repassar R$ 7,2 bilhões do Orçamento do Estado ao Metrô e entre 2003 e 2011, mais de R$ 1,1 bilhão para a CPTM.

O líder petista explicou que “o problema do Metrô e dos trens da CPTM não é falta de dinheiro, porque no Orçamento há a reserva de recursos, mas que não são executados. É só observamos, por exemplo, o Plano Plurianual (PPA) do Serra (2008-2011) que não foi quase nada cumprido”,

Metas do PPA não são cumpridas

O estudo mostra por exemplo que, o PPA de Serra previa a implantação operacional do trecho Largo 13 – Chácara Klabin da linha 5 – Lilás, que teve apenas 18% da meta cumprida. Também quase 80% da modernização da linha 7 da CPTM (Luz-Jundiaí) não foi executada. Outra promessa que era a implantação do Corredor Metropolitano Guarulhos-Tucuruvi deixou de ser executado em mais de 77%.

“Os tucanos apenas anunciam obras e não cumprem. E anunciam obras grandes e de complexa realização para dois anos, como se isso possível. Para essas obras, entre o projeto fundamental e o projeto executivo, sem falar do processo da licitação, demora entre quatro e cinco anos”, esclareceu o deputado Gerson Bittencourt.
Para o líder da Bancada, “o governo dos tucanos não faz a lição de casa e, dessa forma, não tem a quem culpar pelo problema do caos no transporte público, a não ser ele próprio, mas insistem em colocar a culpa nos usuários”.

Veja abaixo, em anexo, o estudo elaborado pela Bancada do PT.