Falta de modernização é causa de acidentes

19/04/2013

Trens da CPTM

Um dos pontos levantados pela investigação inicial sobre a morte do estudante Leonardo de Souza Silva, de 15 anos, na Estação Brás da CPTM, na última terça-feira (16/4), é a distância entre o trem e a plataforma naquela parada. São 15 centímetros, segundo o boletim de ocorrência. Medição feita pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo indicou um vão até maior, de 21 centímetros. O rapaz poderia ter caído por ali.

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que essa separação é necessária por causa do compartilhamento das vias com os trens de carga, mais largos, e que a mudança depende de modernização das linhas.

O vão medido pela reportagem na plataforma 7 da Estação Brás da CPTM é mais que o dobro do tamanho que o localizado na Estação Brás da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), de 9 centímetro. Apesar de a empresa divulgar que o jovem possa ter caído no espaço existente entre dois vagões, mais amplo, a Polícia Civil registrou a hipótese de a queda ter ocorrido no próprio vão.

A CPTM foi questionada, mas não informou quantas mortes foram registradas por quedas acidentais de usuários nos trilhos no ano passado e nos primeiros meses de 2013.

*com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *