Falta de transparência do governo Alckmin

23/09/2013

Comissão critica

Comissão critica falta de transparência do governo Alckmin

Grupo diz que movimento criado pelo governador tucano há um mês em resposta à denúncia da Siemens sobre cartel no setor metroferroviário foi ato marqueteiro. “Em termos de resultado, o trabalho tem sido pouco efetivo”, disse Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos

A comissão criada no mês passado pelo governador Geraldo Alckmin para ser uma resposta às suspeitas do propinoduto no Estado já é criticada por seus próprios integrantes.

Formado por 12 entidades da sociedade civil e coordenado pela Corregedoria-Geral da Administração (CGA) – órgão de controle e correição do Estado -, o Movimento Transparência foi criado no momento em que a Siemens denunciou a existência de um cartel em contratos de trens e metrô com gestões tucanas desde o governo Mario Covas (1998).

Para tentar distanciar seu governo do esquema, Alckmin anunciou que o Estado processaria a empresa alemã, para que os cofres públicos fossem ressarcidos. Os contratos no sistema metroferroviário foram superfaturados em até 30%.

No entanto, integrantes da comissão dizem que o `movimento` foi criado pelo governador para dar publicidade. “Em termos de resultado, o trabalho tem sido pouco efetivo”, afirmou Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos, que integra a comissão. Segundo ele, a Corregedoria não tem divulgado os dados necessários.

“Aquele nome (Transparência) foi ideia de algum marqueteiro do Palácio (dos Bandeirantes)”, acrescentou Claudio Weber Abramo, presidente da ONG Transparência Brasil.

fonte: site Brasil 247

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.