Franca recebe audiência do Orçamento 2018 – Alckmin dá presídio, mas não dá Educação e Saúde

21/09/2017

AUDIÊNCIA PÚBLICA DO ORÇAMENTO

Crédito:

Gilson Pelizaro, coordenador da Macro Ribeirão Preto do PT, participou da Audiência Pública do Orçamento do Estado 2018 e aproveitou o uso do plenário da Câmara Municipal de Franca para a crítica: “Tem uma série de pendências em Franca que o Governo do Estado poderia ajudar. O Governo complicou a cidade ao transformar o Centro de Detenção Provisória (CDP) do município em uma penitenciária de forma unilateral, sem audiência pública e sem nenhuma contrapartida para Franca”.

Gilzon frisa que com a vinda do presídio o aparelho social da cidade, seja o SUS, escolas, entre outros serviços, ficam sobrecarregados e mais caros. Portanto, seria necessário planejamento e contrapartidas do Governo do Estado para que isso ocorresse. E conversa, diálogo com a população. Nem mesmo o prefeito da cidade foi chamado pelo governo Alckmin para dialogar sobre a penitenciária.

ORÇAMENTO/ INVESTIMENTOS EM FRANCA E ENTORNO – Os investimentos do Governo do Estado na cidade de Franca e entorno tem caído sistematicamente desde 2014. Em 2017, foram investidos R$52.028 milhões em obras e materiais permanentes na região, bem menos do que os R$130.133 milhões investidos em 2014, coincidentemente, ano de campanha eleitoral.

ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA INVESTIMENTO EM FRANCA

Participaram da Audiência do Orçamento 112 pessoas. Destas, 77 votaram as prioridades de investimento na região. Educação ficou no topo do ranking, com 18% dos votos. Em segundo lugar ficou Saúde, com 16% dos votos. Em terceiro lugar ficou Assistência Social, com 11% dos votos.

OUTRAS QUEIXAS E DEMANDAS DE FRANCA E REGIÃO

– A Associação Folclórica Tradição Cultura Popular de Franca, representando diversos grupos culturais, pede pela manutenção dos espaços e grupos de cultura locais;

– Ipuã encontra-se com ginásio de esportes lacrado; jovens, crianças e terceira idade não podem utilizar. Três terrenos foram doados para município, Estado já autorizou construção de Fórum, mas ainda não saiu.
Pedido de conjunto habitacional de 160 casas;

– Ana Salomão, professora da Fatec de Franca, diz que unidade tem condições de atender muito mais alunos “mas precisamos de maiores e melhores instalações físicas: acessibilidade, mais salas de aula. Oferecimento de novos cursos (…) Ensino é a força motriz”;

– A presidente da Apae de Franca, Cristiany de Castro, e Paulo Zamikhowsky, vice-presidente, dizem que Apaes em SP atendem mais de 20 mil pessoas com deficiência intelectual, em Franca, são 1000. Cada aluno custa R$800 mensais, mas Estado só repassa R$291 e este déficit vai se acumulando ao longo dos anos e atrapalha as atividades da casa. Pedem por regularização do conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e de valorização dos profissionais da Educação, além de reconhecimento de Apaes e fundações parceiras;

– Patrocínio Paulista fala de afunilamento na entrada da cidade e pede terceira via e duplicação da rodovia Ronãn Rocha para melhor escoamento produção local;

– Casas populares para Franca por meio, por exemplo, de projetos habitacionais de baixo custo. Como CDHU. Reajuste para Apaes. Viaduto no fundo do Jardim Integração. Lucy Montoro para atender toda região. Ampliação de cursos da Fatec Franca, sobretudo na área de tecnologia.

– Continuidade construção ginásio de esportes na Unesp de Franca;

– Construção de ciclovia entre Restinga e Franca. Recapeamento das vias urbanas de Restinga. Pedido de ambulância para melhorar frota sucateada. No Esporte, construção de mais uma quadra esportiva em Restinga, que só conta com uma;

– Melhorias na Santa Casa de Franca, para que possa ser estrutura para 21 municípios que precisarem, concentrando os atendimentos;

– Mais atenção a políticas de assistência social. Recursos para serviços assistenciais de Franca para que município não seja onerado. Financiamento do Estado para benefícios eventuais. Auxílio natalidade, funeral e afins;

– Políticas efetivas voltadas às mulheres que passam por situação de fragilidade. Trabalhar ações de prevenção;

– União da Defesa da Cidadania de Franca pede ajuda para reforma do Museu de Franca. Mais acessibilidade nos prédios estaduais. Delegacia da mulher com funcionamento 24 horas por dia;

– Construção de poço artesiano em São Joaquim da Barra, que tem captação de água deficitária. Melhores condições para parcelamento de moradias populares. Pista de caminhada, que pedido de muitos munícipes;

– Construção de Conservatório Musical de Franca.

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.