Funcionalismo marca presença em audiência

20/08/2015

Orçamento 2016

As principais demandas apresentadas na audiência pública da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, nesta quarta-feira, 19/8, na Assembleia Legislativa, para debater o Orçamento estadual de 2016, referem-se à pauta de reivindicações do funcionalismo público, maciçamente presente na reunião.

Antonio Tuccilio (da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo – Afpesp), Sylvio Micelli (da Comissão Consultiva Mista do Iamspe), Wally Luhmann (presidente da Associação dos Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo – Apampesp), Derli Barreto (presidente do Sindicato dos Procuradores de Universidades Públicas do Estado), Denise Ricala (do Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza – Sinteps), Elza Barbosa (da Afpesp) e Rafael Câmara (defensor público) se revezaram na tribuna para apresentar questões pontuais como revalorização da categoria mediante reajuste salarial na data-base, contrapartida financeira do Estado no financiamento do Iamspe, pagamento de precatórios e melhores condições de trabalho, entre outras.

Integrantes da Associação dos Funcionários do Itesp (Afitesp) compareceram à reunião para entregar um documento que detalha as demandas da categoria, atualmente em greve.

Para a cidade

Algumas sugestões para bairros da capital foram feitas pelos participan­tes. Hebert Seabra, da Associação de Nordestinos do Estado de São Paulo, falou do déficit habitacional, no que foi apoiado por Maria do Socorro Alves, da Associação Beneficente Nosso Sonho (Itaquera), que também destacou a necessidade de políticas públicas para jovens.

A jovem arquiteta Juliana Regina relacionou vários problemas que a capital enfrenta: falta de escolas, moradias e atendimento adequado de saúde. “Mas a área com pior serviço é a de transporte público”, lembrando que esse segmento precisa de melhorias urgentes.

Claudislei de Oliveira, da Associação dos Moradores do Jardim Mirna (Varginha- zona sul) pediu a extensão da linha 9 de trem – que liga Jurubatuba a Varginha, de forma a atender o bairro de Colônia, onde está sendo construído pela prefeitura o Hospital de Parelheiros. “Sempre apresentei emendas ao Orçamento do Estado e estive reunido com autoridades estaduais para cobrar a extensão da Linha 9 – Esmeralda até Varginha. As obras começaram em 2012, com previsão de entrega para 2014, mas agora não há prazo previsto para a sua conclusão”, criticou o deputado Enio Tatto, que após a audiência pública recebeu Claudislei em seu gabinete.

A extensão da linha é essencial para o acesso ao hospital. Melhorias para o transporte, como VLT para Diadema, foi o foco da manifestação de Eliane Rodrigues, do Fórum de Transportes de Diadema, que ainda tratou do terminal rodoviário para a cidade. A retomada do Ensino para Jovens e Adultos e a instalação do Museu da TV foram as sugestões de Fabio Siqueira.

O vereador de Guarulhos, Guti, pediu ajuda urgente para o município saldar dívida da Sabesp, hoje equivalente ao orçamento anual da cidade.

O representante da Cooperativa Paulista de Teatro, Rudifran Pompeu, propôs que a cultura receba mais atenção do Estado.

Passaram cerca de cem pessoas pela comissão e, ao final, educação e saúde foram escolhidas como prioridade com 22 votos cada e funcionalismo recebeu 15 votos. Participaram os deputados Teonílio Barba, Marcia Lia e Enio Tatto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.