Governistas não querem ouvir movimentos de moradia

16/09/2009 19:20:00

CPI da CDHU

 

A tentativa da Bancada do PT de levar à CPI da CDHU o caso dos desabrigados da Favela Olga Benário foi bloqueada pelos deputados governistas que blindaram a Comissão, instaurada no último mês de junho. O ex-prefeito de Narandiba, Gabriel Vassílios Piperas, convocado para depor hoje, não compareceu à Assembleia e deve ser reconvocado para a próxima reunião da CPI.

Entre os 15 requerimentos apreciados nesta quarta-feira (16/09) estavam três pedidos de convocação apresentados pelos deputados Enio Tatto e Antonio Mentor, únicos parlamentares petistas na Comissão, mas rejeitados pelos deputados que apóiam o Governo Serra na luta contra as investigações sobre a chamada Máfia das Casinhas.

Tatto e Mentor denunciam que os responsáveis pela CDHU foram procurados pelos representantes dos movimentos sociais de moradia antes do violento despejo ocorrido na Favela Olga Benário em 24 de agosto.

Os deputados do PT queriam que Osmar Silva Borges, da Frente de Luta Por Moradia de São Paulo, Felícia Mendes Dias, do Fórum de Moradia e Meio Ambiente, e Evaniza Alves Rodrigues, da União dos Movimentos de Moradia, comparecessem à CPI para relatar as condições dos moradores da periferia que, para fugir das ameaças de despejo e das áreas de risco, recorrem a mutirões de moradia. Só que as três convocações foram rejeitadas pela Comissão.

Mas, a Bancada do PT conseguiu aprovar requerimento para que a Delegacia Seccional de Polícia de Presidente Prudente envie à Assembleia cópias de inquéritos instaurados na região em decorrência da chamada Operação Pomar, que investiga suspeitas de corrupção na construção de casas populares na região do Oeste Paulista. Investigações da Polícia Civil sobre este esquema resultaram na prisão de 16 pessoas acusadas de envolvimento em licitações fraudulentas e superfaturamento em 21 municípios do interior do Estado.

A Comissão aprovou também pedido de informações à CDHU sobre os procedimentos tomados pela companhia nos casos em que foram apontadas irregularidades.

A CPI vai convocar para depor nas suas próximas reuniões Claudemir Antonio de Matos, presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura de Pirapozinho, Dejair Bistaffa, encarregado do setor de compras do município e acusado de fraudes em licitações, e João Degair Pavareto, engenheiro civil da prefeitura e suspeito de participação no esquema. Na próxima semana, a Comissão deve ouvir o ex-prefeito de Presidente Venceslau, Ângelo Malacrida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.