Governo Alckmin mostra descaso com enchentes ao interromper construção de mais um piscinão

25/02/2011 15:52:00

Obras paralisadas

 

Obra beneficiaria aproximadamente meio milhão de cidadãos

O problema recorrente de enchentes na tríplice divisa entre os municípios de São Bernardo, São Caetano e a Capital que poderia ser resolvido com a construção do piscinão Jaboticabal, anunciado desde 2008 pelo governo do Estado, teve a licitação interrompida por tempo indeterminado pela gestão Alckmin.

O reservatório é tido pelas autoridades como o maior instrumento para conter enchentes no Grande ABC e em parte da Capital, o que beneficiaria cerca de meio milhão de pessoas.

Previsto para ser construído em área historicamente afetada por enchentes, como a Avenida Guido Aliberti, em São Caetano, e o Km 13 da Via Anchieta, em São Bernardo, o reservatório teria capacidade para reter  900 mil metros cúbicos de água (360 piscinas olímpicas) e receberia diretamente a água que corre pelo Ribeirão dos Couros, além dos córregos Oratório e Jaboticabal, que o batiza.

Responsável pela obra, o Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica) informou que a publicação do edital está paralisada porque ainda não há fonte de recursos definida para financiar o projeto.

Os valores para a construção do piscinão Jaboticabal provavelmente devem estar embutidos na cifra de R$ 1,78 bilhão que o governador  Alckmin contingenciou (congelou) para investimentos, isso apesar de, em 2010, o governo paulista ter arrecadado quase R$ 9 bilhões  a mais do que o previsto e, para este ano, a previsão girar em torno do mesmo valor.

Estado prometeu 134 e entregou apenas 43

A gestão do ex-governador José Serra havia prometido a construção de 134 reservatórios em todo o Estado, ma só entregou 43. Além disso, transferiu a responsabilidade de limpeza e manutenção para as prefeituras, que já haviam cedido os terrenos para a construção dos piscinões. Como nem sempre as prefeituras têm verbas para efetuar a limpeza periódica, os reservatórios não são utilizados em toda a sua capacidade, o que favorece as enchentes, independente do volume de chuvas.

Ainda tendo como exemplo a região do ABC, para a solução das enchentes seria necessária a implantação de 46 reservatórios. No entanto, a região tem apenas 17 piscinões em funcionamento. O próprio DAEE havia informado anteriormente que já tinha identificado 56 áreas que poderiam receber os novos piscinões na região.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.