Governo quase zera investimento em cidades do interior de SP, como ocorre com Dracena e região

20/09/2017

AUDIÊNCIA PÚBLICA DO ORÇAMENTO 2018

Crédito:

Que obras e serviços podem ser levado à população de uma cidade com R$1.546 reais? Este é o investimento pífio investido em Dracena neste ano de 2017 pelo Governo do Estado em obras e materiais permanentes, segundo estudos realizados pela assessoria de finanças e orçamento do PT Alesp.
Frente a uma série de demandas seríssimas, que vai desde rodovias com erosão à falta de equipamentos simples de saúde, como um tonômetro, aparelho que mede a pressão ocular, o governo Alckmin enviou apenas estes mil e poucos reais para a região.

Um evento como a Audiência Pública do Orçamento do Estado 2018 não acontecia há 11 anos em Dracena, segundo Rodrigo Parra, presidente da Câmara Municipal de Dracena, que participou da agenda na terça-feira (19).

Dracena compõe a região da Nova Alta Paulista, 10ª região administrativa do Estado de São Paulo. Os investimentos na região caíram quase 100% este ano (99,30%), para ser mais preciso.
Em 2016, foram investidos R$ 117.049,06 em obras e materiais permanentes pelo Governo do Estado em Dracena. Em 2017, foram apenas R$ 1.546,00.

DEMANDAS MAIS URGENTES EM DRACENA E REGIÃO

Participaram da votação do que é prioridade de investimento na região 112 pessoas, destas, 77 votaram. Saúde, como muito se tem visto nas cidades do interior paulista, ficou no topo do ranking; 49 pessoas votantes, ou 21,5%, acreditam que a área deve ser foco dos investimentos do Governo do Estado no orçamento 2018.

Em segundo lugar ficou Educação, prioridade para 35 votantes, ou 15% deles.

Em terceiro vem Agricultura, prioridade para 21 votantes, ou 9% deles.

OUTRAS NECESSIDADES DE DRACENA E REGIÃO DESTACADAS PELOS PARTICIPANTES

– O prefeito de Dracena, Juliano Bertolini, pede ferrovia que ligue cidade de Panorama ao Porto de Santos. Falou de mais cuidados para estradas vicinais de Dracena e apontou para reforma da Escola Estadual 9 de julho, que ficou deteriorada após chuva de granizo e precisa de reforma;

– Medicamentos que são de responsabilidade do Governo do Estado estão sendo negados mesmo com decisões judiciais. Município faz sua parte e Estado não – queixa recorrente de vários prefeitos;

– Construção de Parque industrial e comercial para fomentar geração de emprego e renda;

– Capitão Ivan, comandante Polícia de Dracena, pede construção de 25º batalhão para atender 22 municípios do entorno;

– Vereador de Inúbia Paulista pede que Estado preserve programas sociais que já existem. Menciona repasses atrasados de programas assistenciais e de saúde. Nas creches, fala de falta de vagas;

– Representando o grêmio estudantil da Escola Estadual 9 de julho, Nicole fala de reforma da quadra do local e diz que buracos na entrada “caracterizam” escola. Além disso, pede que se pense em acessibilidade;

– Repasses para recapeamento da rodovia Plácido Rocha, que liga Adamantina a Valparaíso e está “completamente esburacada”, assim como vias do município;

– Gislaine Oliveira dos Santos Gomes, da Associação de Produtores Rurais de Dracena, pede míni abatedouro, registrado junto a Unesp;

– Ailton Lorensetti, vereador de Dracena, pede investimentos em câmeras de segurança, saneamento básico – galerias para passar água – no bairro Metrópole. Praças e equipamentos infantis e de ginástica. Estruturas como berços e outros para creches. Tomômetro de sopro oftalmológico, que não tem em Dracena. Infraestrutura para obras de acessibilidade;

– Atenção a estradas rurais. Emendas para conservação dessas vias. Resolução de problemas na ponte Canganha, divisa de Dracena com Juqueirópolis, que contam com danos há 9 anos. Agricultores a utilizam para escoamento insumos;

– Vereador de Panorama pede para que conjuntos habitacionais sejam entregues junto com sinalização de trânsito, academia ao ar livre e centro comunitário para concentrar ações que se formam com o conjunto. E que títulos dos municípios turísticos sejam entregues junto com equipamentos de segurança. Panorama tem situação de endividamento por gestões anteriores. Dívida R$3 milhões por causa de 9 consórcios anteriores. Pede para que valores sejam minimizados, parcelados junto à casa civil.

– Vereador de Tupi Paulista reclama de convênio Iamspe desativado na cidade. Pede raio-X à Santa Casa.

– O presidente da Câmara de Dracena fala de erosão da via Marginal José Dansieri. Governo só faz reparo quando é mais grave, quando tem acidente;

– Paulo Figueiredo, da Unesp Dracena, pede abertura de novos cursos;

– Construção de Hospital Regional de Dracena de Aterro para resíduos sólidos. Governo do Estado exige contrapartida muito grande por parte do pequeno agricultor rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.