Hoje na Alesp: Atividades dos deputados dos PT nas Comissões

21/02/2017

ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Destaque de algumas atividades parlamentares realizadas pelos deputados do PT hoje na Assembleia Legislativa paulista.
Durante a Comissão de Educação e Cultura, na qual a Bancada petista é representada pela deputada Márcia Lia, os deputados votaram dez músicos que concorrerão ao prêmio Inezita Barroso. Foram escolhidos:

Bruna Viola
Daniel Firmino
Duo Glacial (Ana e Miguel Cervan) in memorian
Jesus Belmiro
Léu (da dupla Liu e Léu)
Orquestra de Violeiros de Osasco
Orquestra os Violeiros de Santa Fé
Viola Show e Matheus Calil
Waléria Leão
Zinho do Violão

O prêmio é uma homenagem a músicos que se destacam por sua contribuição à música caipira de raiz e qualquer outra forma de arte genuinamente popular. A cerimônia acontecerá no dia 22 de maio. O prêmio foi instituído a partir da aprovação do Projeto de Resolução 31/2015, de autoria do deputado Marcos Martins, pela Assembleia Legislativa.

Na mesma sessão, voltou-se a discutir as demissões dos membros da Banda Sinfônica de São Paulo, motivados pelo recente fato do maestro Marcos Sadao Shirakawa, único poupado anteriormente, também ter sido demitido pelo governo Alckmin.

Por isso os deputados membros da comissão concordaram em convidar o secretário da Cultura do Estado, José Roberto Sadek, e o presidente do Instituto Pensarte, organização que geria a banda, para prestar maiores esclarecimentos sobre as demissões e discutir possibilidades de manter a banda ativa.

Secretário de Saúde presta contas na Comissão

Hoje, na Comissão de Saúde, o Secretário da pasta, David Uip, prestou contas do quadrimestre e falou sobre a fábrica de derivados de sangue no Brasil, cuja construção teve início em 2008, na gestão do então governador de SP na época, José Serra, e por ingerência da gestão tucana, ficou parada por nove anos – e depois de vultoso dispêndio de verbas públicas, que somam R$ 239,4 milhões.

O secretário disse que foi contratada uma auditoria particular que entregou relatório em 2015. No entanto, a auditoria que diagnosticou a situação do Butantan aponta que uma das grandes deficiências do projeto esteve no aspecto econômico-financeiro. “Não foram apresentados estudos de viabilidade, o que leva à dúvida se foram feitos”, diz. “Se foram, certamente não foram feitos de forma profissional.”

David Uip disse que novas auditorias estão sendo feitas e que cabe à Corregedoria denunciar o caso. O nome de novo diretor para a Fundação está sendo decidido.
Enquanto isso, basta à população refletir sobre os gastos altíssimos que são feitos pelo governo tucano sem que haja retorno. O que eles chamam de “erros de planejamento”, a sensatez manda chamar de descaso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.