Homenagem tem protesto contra impunidade e criminalização dos movimentos populares

03/11/2009 18:28:00

30 anos do caso Santo Dias

 

“Após 30 anos da morte de Santo Dias, a luta dos movimentos sociais permanece aos olhos de parcela dos governantes e setores da sociedade como um caso de polícia’’. A denúncia sobre a constante criminalização dos movimentos populares abriu o Ato em Homenagem a Santo Dias, realizado pela Liderança do PT e pelo Centro de Direitos Humanos Santo Dias na última terça-feira, na Assembleia Legislativa.

Os deputados Marcos Martins, Rui Falcão, José Zico Prado, Enio Tatto e outros parlamentares participaram da homenagem, ao lado de familiares e amigos do sindicalista, assassinado em 30 de outubro de 1979 pela Polícia Militar durante  protesto de trabalhadores na porta da Fábrica Sylvânia, localizada na zona sul da capital.

As trajetórias de muitos dos parlamentares petistas cruzaram com a de Santo Dias no ano do crime. Presidente da Comissão de Direitos Humanos, o deputado José Cândido, foi colega do sindicalista na Pastoral Operária e liderava uma greve em Suzano, em outubro de 1979. Já Enio Tatto trabalhava em uma pequena metalúrgica, a menos de 500 metros da Fábrica Sylvânia, e também atuava nos movimentos populares.

José Zico Prado foi companheiro do operário na Oposição Metalúrgica, chapa que disputava a eleição no sindicato da categoria, e conversou com ele, pela última vez, na véspera de sua morte, depois de uma reunião no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo.

É de autoria de Zico Prado o Projeto de Lei que propõe a instalação, nas dependências da Assembleia Legislativa, do Monumento de Resistência Santo Dias, dedicado aos trabalhadores que perderam a vida na luta contra a ditadura e aos que lutaram pela reconstrução da democracia no Brasil.

Durante o Ato, realizado no Auditório Franco Montoro, também foram homenageados o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, o ex-deputado federal e presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Hélio Bicudo, a militante da Marcha Mundial de Mulheres e viúva do sindicalista, Ana Maria Dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.