Institutos de Pesquisa Científica enfrentam apagão em São Paulo

05/10/2010 15:18:00

Sucateamento

 

Os 19 institutos públicos estaduais de pesquisa estão perdendo os seus profissionais mais qualificados para instituições federais e para a iniciativa privada. Os salários baixos e a redução orçamentária estão provocando a evasão dos pesquisadores.

Apenas 1,52% do PIB – Produto Interno Bruto – é aplicado no setor; a maior parte da verba é gasta em infraestrutura. O setor emprega 1.605 profissionais ativos que enfrentam inúmeros obstáculos ao desenvolvimento de suas pesquisas.

“Vinculados às Secretarias de Agricultura, Planejamento, Saúde, Meio Ambiente e Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo, ‘os institutos’ representam o berço de grandes cientistas brasileiros e de pesquisas que impulsionaram a modernização do País”, explica a reportagem “Institutos Públicos de Pesquisa correm risco de “apagão” em SP”, publicada na mais recente edição da Revista Adusp – Associação dos Docentes da USP – (nº 48 / setembro-2010).

Os pesquisadores lutam para equiparar seus salários aos recebidos pelos docentes das universidades estaduais, mas a Secretaria de Gestão do Estado nega essa possibilidade.

O Estado de São Paulo forma 48% dos doutores brasileiros e produz 50% dos artigos científicos. Com a evasão, apenas 6% dos profissionais permanecem na área pública. O sucateamento é agravado por mecanismos de privatização ligados aos Institutos, como a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, vinculada aos órgãos ligados à agropecuária.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *