Interior sofre colapso com falta de água

02/07/2014

Seca em SP

Interior sofre colapso com falta de água

Tempo seco, falta de chuva e alta no consumo de água, por causa do clima, geraram um colapso no abastecimento de água em municípios da região de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo).
Desde o início do ano, choveu 50% menos que a média histórica do período, de acordo com dados da Defesa Civil do Estado.

Segundo imprensa regional a estiagem está causando problemas em ao menos 22 municípios, que vão desde a seca de nascente, como em Jardinópolis, e poços, como em Severínia, até o racionamento no fornecimento, nos casos de locais como Santa Rita do Passa Quatro, Dobrada, Batatais e Viradouro. Considerada a pior estiagem já enfrentada pelo município, Jardinópolis viu secar duas nascentes de água.

Em Serrana há desabastecimentos esporádicos em horários de pico de consumo. Já em Bebedouro, o nível do reservatório recuou 10 centímetros em menos de uma semana e o abastecimento é prejudicado em bairros da zona norte.

Além da seca inesperada de janeiro e fevereiro, a estiagem é característica do inverno e, com isso, somam-se os problemas relacionados à poeira e ao consequente aumento do consumo de água.
Pesquisador do laboratório de estudos de bacias da Unesp, Didier Gastmans afirmou que uma das consequências da estiagem é a redução da qualidade das águas dos mananciais.

Segundo o diretor regional do Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica), Carlos Alencastre, a tendência é que, com o nível baixo, os reservatórios comecem a acumular lodo e impurezas.

Irrigação irregular compromete abastecimento

A irrigação irregular feita por seis produtores rurais de Guaíra (432 km de São Paulo), numa área de cerca de 1.500 hectares, compromete o abastecimento de água no município, já prejudicado pelo baixo nível do ribeirão do Jardim em decorrência da falta de chuvas.

A avaliação é do Sindicato Rural e do Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica), que informa que além de não terem outorga para o uso da água, os produtores fazem a irrigação sem deixar a vazão mínima exigida, segundo Cláudio Garcia, diretor do Daee.
Após terem sido notificados, os produtores rurais pediram ao Daee para irrigarem as lavouras até o fim da semana, quando acaba o cultivo.

Protestos em Itu

No fim do mês passado um grupo de jovens participaram de manifestações na cidade de Itu, em protestos a falta de água na cidade, o objetivo foi chamar a atenção para os problemas enfrentados pela população com a distribuição do serviço. (rm)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.