Interventor do Conjunto Hospitalar de Sorocaba não apresenta dados sobre investigação de irregularidades

23/08/2011 20:02:00

Saúde

Crédito:

 

Ao final da audiência da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, que nesta terça-feira (23/8), ouviu depoimento do interventor do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), Luis Claudio de Azevedo Silva, o petista Hamilton Pereira requereu cópias dos contratos irregulares do hospital junto à Secretaria Estadual de Saúde. Os contratos teriam sido encaminhados pela equipe interventora à Procuradoria Jurídica da Secretaria;

“No que se refere às irregularidades contratuais do CHS, o interventor afirmou que há órgãos competentes debruçados sobre isso”, observa Hamilton. “Se o interventor não irá cuidar desses pontos, a Comissão de Saúde da Assembleia deve ter acesso a tais documentos para acompanhar de perto esse processo”, completou.

A Comissão de Saúde que é presidida pelo deputado Marcos Martins, convocou Luis Claudio para dar esclarecimentos sobre os problemas de funcionamento do hospital.  O CHS começou a ser investigado após denúncias de fraudes nos plantões dos médicos, que colocariam o nome na escala, recebendo sem trabalhar. Em junho último, 12 foram presos e depois liberados. O hospital também é investigado pelo Ministério Público Estadual por fraudes em licitações que podem atingir R$ 30 milhões.

Para os petistas presentes na Comissão (Marcos Martins, Hamilton Pereira, Adriano Diogo e Gerson Bittencourt), as informações prestadas pelo interventor não foram satisfatórias, uma vez que dados sobre as investigações não foram apresentados.

Durante a audiência, uma das perguntas feitas por Hamilton Pereira referia-se aos contratos com cinco empresas envolvidas na máfia dos parasitas, denunciadas em 2008. Segundo o parlamentar, as empresas Embramed, Halex Istar, Vidas Med, Biodinâmica, Healthserv, Velox e Home Care Medical atuam desde 2002 junto ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba e já receberam R$ 15 milhões.

“O que tivemos aqui foi um raio-x sobre a precariedade com que tem funcionado o CHS, o que de certa forma já é sentido por nós e por toda a população há muitos anos”, observou o deputado. “O que nos choca é a naturalidade com que as questões são apresentadas como se esse problema nunca tivesse sido de responsabilidade do Estado Paulista”, completa Hamilton.

Outro requerimento encaminhado por Hamilton Pereira à Comissão de Saúde é para que seja solicitada uma auditoria do Ministério da Saúde nas contas e contratos do CHS. Do total de receitas do CHS em 2010, cerca de 10% dos recursos foram oriundos do governo Federal.

*com informações da Assessoria de Imprensa do deputado Hamilton Pereira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.