Investigação aponta para favorecimento em licitação no governo Alckmin

29/09/2014

Irregularidade no DAEE

E-mail indica que superintendente do Departamento de Águas e Energia Elétrica favoreceu o grupo Tejofran em processo de licitação. Esse não é o primeiro escândalo envolvendo a relação da empresa com órgãos estaduais

A operação realizada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) indica que o superintendente do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Alceu Segamarchi Jr, atrasou e direcionou licitações para favorecer o grupo Tejofran. O DAEE é o órgão que gere os sistemas de água do estado de São Paulo e é um dos responsáveis pela administração da atual crise decorrente da escassez de chuva na região.

Um e-mail descoberto durante a operação, escrito em 29 de maio de 2013, mostra que a diretora da Tejofran, Henriqueta Giolito Porto, conta ao seu irmão e diretor da empresa, Telmo Porto, a respeito de uma reunião que teve com o superintendente do DAEE. Segundo ela, Segamarchi afirmou que deixou de realizar concorrências públicas para favorecer a Trail, empresa do grupo Tejofran, na construção e manutenção de piscinões no estado. O edital havia sido lançado em março de 2013, com o valor estimado de R$ 3,8 bilhões.

Esse é o terceiro e-mail que traz indícios de irregularidades envolvendo integrantes do governo de Geraldo Alckmin. As outras duas mensagens apontam relações suspeitas da Tejofran com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), o que levou a investigações do Ministério Público.

A empresa Tejofran já era monitorada por autoridades federais e estaduais pela participação no cartel que fraudou licitações de trens em São Paulo de 1998 a 2008, em sucessivas gestões do PSDB.

fonte: Spressosp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.