Líder fala da oposição ao governo Serra a Paulo Henrique Amorim

31/08/2009 18:46:00

Entrevista

 

O deputado Rui Falcão, líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, concedeu entrevista ao jornalista Paulo Henrique Amorim (em 31/8), abordando a questão da Alstom, da CPI da CDHU e o trabalho da oposição dos petistas no Parlamento paulista.

Serra se blinda e não deixaAssembléia investigar Alstom

Os deputados que fazem oposição ao governo de José Serra na Assembléia Legislativa decidiram recorrer ao Ministério Público Estadual para investigar denúncias de irregularidades nos contatos com a companhia suíça Alstom.

A Alstom é investigada na Suíça e na França por suspeita de ter subornado autoridades de outros países, onde a empresa é fornecedora de trens para o metrô. O Estado de São Paulo é cliente da companhia desde o governo Mário Covas, nos anos 1990. No mês passado, a Justiça paulista decretou o seqüestro de uma conta US$ 1 milhão, que o  conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Robson Marinho, teria em um banco suíço. Robson Marinho foi secretário do governo Covas.

“É evidente que houve mal uso de recursos públicos e propina”, disse o deputado estadual Rui Falcão, líder do PT na Assembléia Legislativa, em entrevista por telefone a Paulo Henrique Amorim. Segundo o deputado, a oposição decidiu recorrer ao Ministério Público porque não consegue os 32 votos necessários para abrir uma CPI sobre o caso na Assembléia.

“Infelizmente, a base de sustentação do governo não assina pedidos de CPI. Nós conseguimos 23 assinaturas, mas são necessárias 32”, diz Falcão. De acordo com ele, a única comissão que o governo permitiu a aprovação, a da CDHU – Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano – permanece travada, graças ao rolo compressor da base governista.

“A presidência, vice-presidência e relatoria são da base governista. Eles não aprovam sequer o requerimento para convocar o promotor de Pirapozinho, que fez a primeira denúncia sobre a CDHU”, afirma o deputado. Segundo ele, a investigação tem como objeto 60 contratos irregulares da companhia, cujos valores dariam para construir mais de 100 mil casas populares.

Ouça a íntegra da entrevista do deputado Rui Falcão.

fonte: www.paulohenriqueamorim.com.br

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *