Linha 4 do Metrô faz mais uma vítima

01/02/2011 16:49:00

Consórcio Via Amarela

 

Um engenheiro de 48 anos morreu eletrocutado na madrugada desta terça-feira (01/02) na futura Estação Fradique Coutinho, que vai integrar a Linha 4 do Metrô. Ricardo Gomes Martins trabalhava em uma empresa terceirizada pela Alstom, uma das empresas contratadas pelo Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras da Linha 4.

Segundo testemunhas, Ricardo morreu no local com uma descarga elétrica de 20 mil volts, proveniente de uma barra de ferro energizada por um aparelho chamado feeder. O engenheiro operava o equipamento, que controla a energização das linhas do Metrô, quando teria escorregado e encostado na barra.

O Consórcio Via Amarela divulgou agora à tarde nota de pesar pelo acidente, que ocorreu quando o profissional fazia manutenção na estação. “Trata-se de uma fatalidade com profissional de larga experiência que prestava serviços através de empresa subcontrada. A empresa informa que tomará todas as providências cabíveis e dará todo o apoio necessário à família.”, diz a nota da Via Amarela.

Foi instaurado inquérito para apurar as causas do acidente no 14.º Distrito Policial, localizado em Pinheiros. A construção da Linha 4 – Amarela, que ligará a Estação da Luz, no Centro, à Vila Sônia, no Morumbi, tornou-se tristemente famosa devido a acidentes e escândalos de corrupção.

Veja aqui alguns destes episódios:

* 12/01/2007 – O desabamento das obras da futura estação Pinheiros da Linha 4 abriu uma cratera com mais de 86 metros de diâmetro, que deixou 7 mortos. O acidente obrigou ainda 212 moradores da região a abandonarem suas casas, que foram interditadas devido a rachaduras e outros problemas. Dos 94 imóveis desocupados às pressas devido à cratera, sete foram demolidos, 14 não poderão voltar a ser ocupados e 73 foram liberados, alguns com ressalvas. O acidente que provocou a cratera do Metrô foi alvo de um pedido de CPI da Bancada do PT, arquivado devido ao boicote da base governista. Até hoje, ninguém foi punido.

* 06/04/2010 – Uma grua de um guindaste cedeu no canteiro de obras da futura Estação Morumbi. A alça que sustentava o peso do equipamento entortou e levantou um caminhão. Felizmente, não houve feridos.

* 06/01/11 – Pela oitava vez, o Governo do Estado alterou a data de entrega de estações da Linha 4 e da conclusão do trecho até a Luz. Desta vez, o governador Geraldo Alckmin anunciou que as estações Butantã e Pinheiros deverão ser entregues até o final deste semestre e a extensão até a Luz, até o final de 2011. A previsão é de que o trecho, que começou a ser construído em 2001 pela Alstom e outras empreiteiras, deverá transportar aproximadamente 700 mil usuários.

* 19/01/2011 – A rota do pagamento de propinas da multinacional francesa Alstom para políticos paulistas ligados às gestões tucanas é desvendada pela Justiça do Reino Unido. Integrante do Consórcio Via Amarela, responsável pela Linha 4, a Alstom foi favorecida em licitações do Metrô de São Paulo graças às milionárias propinas pagas aos tucanos. O caso, revelado pelo Wall Street Journal em 2008, também já foi alvo de um pedido de CPI da Bancada do PT.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *