Mano Brow fala do extermínio da juventude negra pela PM

24/10/2012

Insegurança pública

Em encontro dos artistas de periferia da capital paulista, nos últimos dias, o rapper o Mano Brown disse que não estava ali para falar de cultura, mas de extermínio.

Ele usou o termo para qualificar a atitude das polícias paulistas sob direção tucana diante das juventudes negras, rappers, funkeiras, periféricas etc. “Quem reagir, morre”, modificou frase do governador Geraldo Alckmin, exemplificando com o assassinato, há poucos dias, de dois companheiros ligados ao núcleo formado pelos grupos Racionais MC’s, Negredo e Rosana Bronk’s. “O pano de fundo é a guerra contra o crime organizado, mas eles (o poder público paulista) estão matando por parecer ser”, afirmou.

Assista ao vídeo com o depoimento do rapper.