Manobra da base aliada transfere reunião do Conselho de Ética para quarta-feira

25/10/2011

Caso das emendas

Usando da prerrogativa de poder alterar a data da próxima reunião sem consultar os membros componentes, o deputado tucano Hélio Nishimoto, presidente do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de SP, transferiu para amanhã (quarta-feira, 26), às 14 horas, a reunião previamente agendada para o dia 27.

“Não há outra explicação, senão tentar esvaziar o Ato pela CPI da venda das emendas, organizado pelos movimentos sociais, que irá acontecer na quinta, na Assembleia. Os deputados da base aliada querem fugir da pressão popular que clama por suas assinaturas para que seja instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito que investigue de fato as denúncias”, afirmou o líder da Bancada do PT, deputado Enio Tatto.

Segundo o deputado Marco Aurélio, membro no PT no Conselho, nenhum componente foi consultado para a transferência da data da reunião. Para ele, trata-se de uma “decisão arbitrária, sem motivação. O único motivo justificável seria para vinda do deputado Bruno Covas para se explicar. O que parece não ser o caso”.

Pauta da reunião

Na pauta da reunião do Conselho do Ética está previsto a apreciação três requerimentos do PT. O primeiro deles é para que seja oficiado o secretário da Casa Civil para prestar esclarecimentos e fornecer os documentos relativos às execuções do Orçamento do Estado nos exercícios de 2006 a atual, referentes às emendas parlamentares.

No segundo requerimento, os petistas querem ouvir o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Emanuel Fernandes, e a subsecretária de Assuntos Parlamentares da Casa Civil, Rosmary Corrêa, sobre a suposta omissão na apuração das denúncias, que segundo o deputado Roque Barbiere tinham conhecimento.

O outro pedido do PT é para sejam convidados Fabrício Marcolino e José Luiz Andreossi para prestarem esclarecimentos sobre o envolvimento de ambos nas denúncias.
O quarto requerimento é de autoria do deputado Carlos Giannazi (Psol) e designa que seja dado prosseguimento ao processo disciplinar, em seja mantida a posição do deputado Roque Barbiere.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.