Manobra tucana impede a convocação dos envolvidos no escândalo da Nossa Caixa

05/04/2006 12:50:00

Os deputados petistas, tentaram convocar o Sant´Clair de Vasconcelos, presidente da agência de propaganda Contexto e representantes da Colucci e Ful Jaz, também agências de publicidade, que receberam verbas indevidamente da Nossa Caixa. São também alvos da Bancada do PT, o presidente da Nossa Caixa, Carlos Monteiro e o Jaime de Castro Júnior, ex-gerente de marketing do banco, ambos ordenadores de despesas, responsáveis por pagamentos.

Além do “mensalinho do Alckmin” na Assembléia de São Paulo, o ex-governador está envolvido em denúncias de improbidade administrativa, por conta do “patrocínio institucional” para revista de seu acupunturista. Outra questão que está sendo apurada é a doação de 400 vestidos à primeira dama, recebidos do estilista Rogério Figueiredo. Lú Alckmin alega os vestidos foram repassados a título de caridade para uma instituição Irmã Clara, que desconhece a doação.

No pacote de uso indevido de verbas públicas, existe ainda o aumento de 250% na verba destinada à publicidade da Nossa Caixa para o ano de 2006. O líder da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembléia, Enio Tatto e Renato Simões acionaram o Tribunal Regional Eleitoral, por possível violação à legislação eleitoral, que impõe limites à elevação de gastos em propaganda oficial em ano de eleições.

Na Comissão de Finanças e Orçamento os tucanos usaram de uma manobra regimental e derrubaram o quorum da reunião. O PT pretende colocar a matéria em pauta novamente nesta quinta – feira, numa reunião extraordinária da Comissão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.