Metrô de SP avança com financiamento do governo federal

12/03/2013

Só assim

O governo federal nunca possibilitou tamanho volume de empréstimos ao Estado de São Paulo para a área de transportes como nos últimos seis anos. De 2007 a 2012, foram R$ 16,8 bilhões destinados somente ao Metrô e à CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Com aval do governo federal, o Estado obteve financiamentos junto ao BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, CEF – Caixa Econômica Federal, BIRD – Banco Mundial, BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e JBIC – Japan Bank International Cooperation.

Hoje, há quatro linhas do Metrô em execução graças a esses empréstimos: as linhas 4 Amarela, 5 Lilás, 15 Prata e 17 Ouro.

Além disso, há um compromisso do governo federal em disponibilizar R$ 400 milhões para a Linha 18 Bronze. Essa obra ainda não teve início, está em processo de projeto executivo, portanto ainda não foi disponibilizado nenhum recurso. Será a primeira vez que um governo federal aporta recurso do Orçamento Geral da União no Metrô de São Paulo.

Esses investimentos estão possibilitando que o Metrô avance. No governo FHC, houve empréstimo de R$ 4,6 bilhões e a malha metroviária expandiu apenas 0,5 km por ano. Com o apoio de Lula e Dilma Rousseff, os empréstimos aumentaram mais de 200% e a média de expansão pulou para 3,24 km por ano.

Também vale ressaltar que foi o governo Dilma que aumentou o limite de endividamento dos Estados para que esses pudessem realizar mais investimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.