Motorista morre em acidente provocado pela ausência de barreiras no Rodoanel

06/08/2010 16:57:00

Negligência

 

Somente após a morte do metalúrgico Antonio da Silva Pereira em um acidente de carro, no trecho Sul do Rodoanel, é que o governo de São Paulo decidiu instalar barreiras de concreto para aumentar a segurança da rodovia, inaugurada há quatro meses.

O metalúrgico perdeu o controle do carro na última terça-feira (03/08), saiu da pista, que não tinha proteção lateral, e despencou cerca de 30 metros até cair  na Represa Billings, em Santo André. Seu corpo foi encontrado somente no dia seguinte porque também não foram instaladas câmeras de monitoramento, o que dificultou o trabalho de resgate.

A própria família do metalúrgico tomou a iniciativa de refazer o trajeto diário de Diadema a Mauá, que ele fazia para ir ao trabalho, depois que ele não apareceu no horário habitual em casa. “Ele morreu afogado e por causa da falta de segurança do Rodoanel”, lamenta o irmão Nivaldo Pereira Vieira, que localizou o carro em uma das ribanceiras do Rodoanel.

O trecho recém-inaugurado do Rodoanel também enfrenta problemas de segurança, de drenagem e de ‘ponto cego’ para celulares. Com apenas 12 dias de tráfego, já haviam ocorridos vários acidentes provocados por aquaplanagens e o reforço da segurança também só foi anunciado agora.

Faltam ainda telefones de emergência no trecho Sul, situação agravada pelo fato de que não há sinal para celular em alguns pontos do trajeto.

O Ministério Público Estadual recebeu, no dia 20 de julho, representação do líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa, deputado Antonio Mentor, com pedido de anulação das multas aplicadas aos motoristas que transitaram pelo Trecho Sul do Rodoanel e pela Nova Marginal desde a inauguração dessas vias, além de suspensão da aplicação de novas autuações.

De acordo com a representação, as obras foram inauguradas sem que estivessem totalmente concluídas, com falhas na sinalização e na iluminação.

Ex-presidente da Dersa, o engenheiro Luiz Célio Bottura, resumiu assim os problemas da nova rodovia: “O Rodoanel é um projeto feito de afogadilho, apesar d éter demorado 11 anos”.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *