Movimentos cobram transparência no governo Alckmin

27/10/2011

Pela CPI das emendas ja!

Crédito:

Há 18 anos Manuel Otaviano da Silva participa de manifestações populares em defesa da democracia e cidadania.

Sua jornada, especialmente na Central de Movimentos Populares, já completou 10 anos. Hoje foi mais um dia em que Manoel entrou em cena e, desde às 9 horas da manhã, fincou seu arsenal constituído de apito, panfletos e muita animação passou o dia na rampa de entrada do maior Parlamento da federação brasileira. Junto com outros militantes de movimentos sociais e sindicais, Manoel que é da direção estadual da CMP, abordou aqueles que chegavam pediam apoio à CPI da Venda das Emendas. Incansável ele argumentou, falou e falou sobre a importância da instituição da CPI. “Nós temos clareza de só uma CPI pode apurar a fundo a venda de emendas. Depois da União São Paulo tem o maior orçamento da União e é inconcebível que desviem dinheiro público, enquanto nossa população carece de coisas básicas como saúde, moradia e educação,” protestou.

Lá do alto do caminhão de Wagner Gomes, secretário nacional de finanças da CUT, defendeu a reforma política para acabar com o fisiologismo e desvios de recursos públicos. Para Gomes São Paulo precisa reagir e o Ato foi uma demonstração da força de homens e mulheres trabalhadores do Estado. “Nós não aceitamos esta operação abafa que ocorreu hoje no Conselho de Ética queremos uma CPI para apurar os desmandos do governo tucano”, ressaltou.

Já o presidente da CUT estadual Adi dos Santos Lima, saldou os manifestantes e os deputados presentes no Ato e destacou a importância da eleição de políticos comprometidos com os interesses da população. “Os trabalhadores sabem com quem pode contar e quem defende a sociedade e quer esclarecer a venda das emendas e negociações feitas com o dinheiro público” e ao final informou que a CUT vai produzir material com fotos dos deputados que assinaram o pedido de CPI e também daqueles que se negaram a assinar o pedido. “Eles é que se expliquem por que não querem investigar“.

Todas as manifestações foram acompanhadas por Manuel e seus companheiros de luta e a cada deputado e ou deputada que subia no caminhão de som e assumia o microfone a plateia aplaudia, tremulava as bandeiras de suas instituições e apitam. “Isso é democracia, isso é cidadania” outro explicava para o pipoqueiro que se juntou ao Ato e garantiu sua renda do dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.