Movimentos Populares denunciam violência policial e intensificam protestos #ForaTemer

05/09/2016

Grito dos Excluídos

Crédito: CMP

Gritos dos excluídos

Após o encerramento da maior manifestação pacífica ocorrida em São Paulo, neste domingo (4) com organização da Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, onde mais de 100 mil pessoas protetaram pelo Fora Temer e o povo que tentava acessar o metrô teve como resposta a truculência da tropa de choque do governador Geraldo Alckmin, numa ação covarde e rasteira, com o arremesso de bombas de gás lacrimogêneo e jatos de água, a Frente Brasil Popular e Povo Sem medo decidiram intensificar os protestos contra o governo golpista no próximo 7 de setembro.

Para Raimundo Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares e integrante da Frente Brasil Popular ” este ataque da PM de São Paulo faz parte da tentativa de inibir as crescentes manifestações diárias contra Temer e que vem acontecendo desde o dia 31 de agosto, data que o Senado aprovou o impeachment da presidenta Dilma, sem ter cometido crime responsabilidade. Não adianta. Não vão nos intimidar. Vamos intensificar os protetos pelo Fora Temer.”

O próximo ato na Capital paulista já está agendado: será nessa na quarta- feira, dia 7 de Setembro, quando o tradicional “grito dos excluídos” – ato organizado pela Central de Movimentos populares (CMP) – terá como mote a frase: “Contra o Golpe, Fora Temer”, e ocupará novamente a Avenida Paulista.

O dirigente lembrou que durante a cerimônia de posse, o presidente Michel Temer atacou e ameacou aqueles que protestam e denunciam o golpe que o levou ao poder. Para Temer, não há liberdade de expressão para aqueles que contestam as medidas que cortam direitos dos trabalhadores, retiram recursos e investimentos em políticas públicas destinadas a população mais pobre. “Não vamos nos calar, não aceitaremos ameaças e reagiremos,” ressaltou Bonfim

O Ato será mais um protesto contra o governo ilegítimo de Temer e de resistência à opressão e truculência do governo Alckmin à liberdade de manifestação, com início para às 9h, na Praça Oswaldo Cruz (Avenida Paulista). A ideia é seguir pela Avenida Brigadeiro Luiz Antonio e finalizar a caminhada no Parque do Ibirapuera.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.