MP denuncia coronel por violência no Pinheirinho

04/11/2013

Violência policial

O nome do coronel, que comandou o efetivo policial durante a reintegração de posse, não foi revelado pelo MP; de acordo com o promotor Laerte Levai, houve “violência generalizada” praticada por policiais militares contra os moradores do local

O Ministério Público (MP) de São Paulo ofereceu denúncia à Justiça contra um coronel da Polícia Militar de São Paulo por abuso de autoridade durante a reintegração de posse da Comunidade Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), em janeiro do ano passado. O nome do coronel, que comandou o efetivo policial durante a reintegração de posse, não foi revelado pelo MP. A denúncia, oferecida pelo promotor de Justiça Laerte Fernando Levai, foi encaminhada ontem (31) à Justiça.

De acordo com o promotor, houve “violência generalizada” praticada por policiais militares contra os moradores do local. “A reintegração da área foi feita com lançamento de bombas de gás e tiros de borracha nos moradores e nem mesmo as crianças foram resguardadas dos atos violentos, presenciando elas, muitas vezes, seus próprios pais apanhando da polícia”, disse o promotor, em sua denúncia.

O promotor destacou que a violência policial pôs em risco a vida e a saúde das pessoas. “Os relatos constantes dos presentes autos indicam que os moradores, muitos deles surpreendidos enquanto dormiam, foram postos para fora das casas sem tempo sequer de retirar seus pertences, sob o efeito de bombas de gás, tiros de balas de borracha, golpes de cassetete e spray de pimenta nos olhos, quando as entradas do Pinheirinho estavam todas elas cercadas pelas tropas militares, sendo ali impedido o acesso dos advogados, dos representantes dos moradores e da imprensa”, diz a denúncia feita pelo promotor.

A denúncia será analisada por um juiz da 5ª Vara Criminal de São José dos Campos.

Procurada pela Agência Brasil, a Polícia Militar, até o momento, ainda não se pronunciou sobre a denúncia.

fonte: Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.