MP pede afastamento de Conselheiro nomeado pelo PSDB

23/05/2014

Propinoduto

Ministério Público pede afastamento de Conselheiro nomeado pelo PSDB

A promotoria do Patrimônio Público e Social, braço do Ministério Público de São Paulo que investiga improbidade, requereu à Justiça, em 23/5, o afastamento do conselheiro Robson Marinho, do Tribunal de Contas do Estado acusado de ter recebido propina para favorecer a multinacional Alstom, em contratos da empresa como o governo do PSDB no Estado de São Paulo, no setor de energia.

Segundo a promotoria o ex-chefe da Casa Civil do governo Mario Covas recebeu propinas da multinacional francesa Alstom, entre 1998 e 2002 e exerce a função de conselheiro do TCE paulista desde 1997.

Os investigadores apontam que autoridades da Suíça descobriram uma conta mantida secretamente em Genebra, em nome da empresa Higgins Finance, que pertence a Marinho e sua mulher, por onde teria recebido cerca de US$ 3 milhões.

A promotoria sustenta que Marinho recebeu recursos por meio da Alstom/Cegelec por intermédio da MCA Uruguay , offshore constituídas nas Ilhas Virgens Britânicas, e da Acqua Lux, empresa situada no Vale do Paraíba contratada pela multinacional francesa para “serviços fictícios”. Essa empresa pertence a Sabino Indelicato, amigo de Marinho.Uma das provas usadas pela promotoria contra Marinho é o depoimento de Michel Cabane, ex-executivo da multinacional. Ele afirma que o conselheiro “era patrocinado pela Alstom”.

Os promotores apuraram também que recentemente Marinho vendeu uma Casa na praia Domingos Dias, situada na cidade de Ubatuba, no litoral norte de Ilha de Araçatiba, em Paraty, cidade do Rio de Janeiro. Em outra frente de investigação, a promotoria rastreia a evolução patrimonial do conselheiro. O Tribunal de Contas do Estado enviou ao Ministério Público cópia da declaração de rendas de Marinho referente a 2013. A promotoria pediu informações sobre outros exercícios para fazer a comparação. O conselheiro nega ter recebido propina da Alstom no Brasil e na Suíça e diz que vai pedir a anulação das investigações.

Há dois meses Bancada pediu seu afastamento

Em meados do mês de março os deputados do PT, protocolaram junto a Procuradoria Geral de Justiça pedido de afastamento cautelar de Robson Marinho, de suas funções, enquanto perdurarem as investigações de participação no esquema de favorecimento e recebimento de propina.

Nesta semana os deputados do PT protocolaram nas Comissões de Infraestrutura e Fiscalização e Controle, a convocação de Marinho, para que preste esclarecimentos sobre propinas pagas pela empresa Alstom à empresas de consultoria ligadas a ele.(RM)

com informações do Jornal O Estado de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.