Neste ano, 8 cidades do Vale do Paraíba sofreram explosões

07/08/2014

Caixas eletrônicos

Neste ano oito cidades do Vale do Paraíba sofreram explosões de caixas eletrônicos

A explosão de dois caixas eletrônicos na Secretaria de Obras de Pindamonhangaba, no mês de abril aumenta para 11 o número de casos de assalto com uso de explosivos na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, só em 2014.

O crime detona também uma polêmica entre a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) e a Polícia Militar de São Paulo.

Levantamento feito pela imprensa regional mostra que ao todo, durante os 11 assaltos, bandidos explodiram 40 caixas eletrônicos, em oito cidades da RMVale. São José dos Campos lidera a lista, com quatro explosões. Já Taubaté, Igaratá, Aparecida, Cachoeira Paulista, Santa Branca, Caraguatatuba e Pindamonhangaba, até o momento, registraram, pelo menos, uma ação em 2014.
Para o comandante da Polícia Militar na RMVale, coronel Cássio Armani, falta interesse dos bancos em investir em mais segurança nos caixas eletrônicos.

Na opinião do comandante, instalar dispositivos como os que mancham as notas e diminuir a quantidade de dinheiro colocado nos caixas inibiriam a ação dos criminosos. “Nós perguntamos sobre tudo isso para os bancos, mas disseram que ainda estão iniciando um estudo para saber o que é melhor. Agora, tudo isso tem um custo e no momento quem paga a conta é a Polícia Militar que é a primeira a enfrentar a questão. A população também corre risco em cada ocorrência dessas. Até o comerciante está repensando se mantém o equipamento, porque o dano que sofre não vale o serviço que presta”, ressalta.

Outro lado

A Febraban rebate. Afirma que a Polícia é quem deve investir mais no combate ao crime. Em nota, a instituição informa que é necessário combater as causas dos assaltos e impedir que os bandidos tenham acesso fácil a explosivos, como acontece há três anos. Também ressalta que a polícia deve trabalhar na desarticulação das quadrilhas, por meio de ações de inteligência.
A federação afirma ainda que os bancos investiram mais de R$ 9 bilhões em segurança só em 2013 e que têm aperfeiçoado seus sistemas para torná-los mais eficazes e seguros. Um exemplo citado foi a redução no limite de saque em alguns períodos do dia para desestimular o uso dos caixas em horários de risco.

Cronologia

8/1- Grupo armado explode caixa eletrônico em loja de conveniência de um posto de combustível, no Jardim Eulália, em Taubaté;
10/1 – Bando detona dois caixas eletrônicos na rodoviária de Igaratá;
15/1 – Três caixas eletrônicos são explodidos em um restaurante no posto Arco-Íris, no Km77 da Via Dutra, no trecho de Aparecida;
22/1 – Cinco homens armados com fuzis, explodem caixa eletrônico em Cachoeira Paulista e fogem em moto e caminhonete;
27/1 – Em São José dos Campos, dez homens explodem seis caixas eletrônicos dentro do Supermercado Carrefour;
7/2 – Mais de doze homens armados com fuzis invadem o supermercado Coop, em Santana, em São José dos Campos, e explodem seis caixas eletrônicos e a frente de uma agência bancária;
23/2 – Bandidos explodem dez caixas eletrônicos nas únicas três agências bancárias de Santa Branca;
15/3 – Cerca de 15 assaltantes detonam seis caixas eletrônicos dentro do Serramar Praia Shopping, em Caraguatatuba. A perseguição durou quatro dias e deixou dez mortos e cinco presos;
17/3 – Mais dois caixas eletrônicos que ficavam numa farmácia no Jardim Santa Inês 2 são destruídos em São José;
24/3 – Dupla explode caixa eletrônico dentro do Supermercado Coop na região leste de São José dos Campos;
15/4 – Quadrilha detona dois caixas eletrônicos e faz um guarda municipal refém no prédio da Secretaria de Obras, em Pindamonhangaba. (rm)

(com informações do Globo.com)

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.