Orçamento de Serra arrocha ações sociais e investe em obras de grande visibilidade

09/10/2007 18:57:00

Orçamento 2008

Os deputados petistas concederam, hoje (9/10), entrevista coletiva à imprensa onde apresentaram análise do Orçamento do governo José Serra – 2008. Uma das principais constatações é a diminuição da aplicação de recursos para as áreas sociais, incluindo o programa Renda Cidadão, apesar do orçamento de 2008 estar 12% maior em relação ao deste ano.

O líder da Bancada do PT, Simão Pedro, ressaltou que “o governador diz à imprensa da importância dos programas sociais, mas analisando o orçamento, podemos constatar que é uma falácia. Na verdade, os aumentos de orçamento estão concentrados do Palácio dos Bandeirantes. As despesas com locomoção, passagens aéreas, transporte do governador subiram 35,4%”.

“Na peça orçamentária para 2008, também fica bem evidente cortes nos programas de saúde e educação que eram bandeiras do governo Alckmin, como é o caso da Escola da Família, Rede Saber e Escola Aberta”, explicou o líder.

O deputado Mário Reali, membro da Comissão de Finanças e Orçamento, enfatizou que os grandes investimentos estão concentrados em empreendimentos de grande visibilidade, como rodovias e linha 4 do Metrô, em detrimento das aplicação em políticas sociais. “Fica claro os interesses em 2008 – ano eleitoral, inclusive com o aumento de gastos de comunicação”, afirmou Reali.

Também membro petista da Comissão de Finanças e Orçamento, o deputado Enio Tatto destacou as reais perdas em termos percentuais nos gastos com educação, saúde e segurança pública. “Toda vez que há dinheiro do governo federal ou empréstimos para serem investidos em determinada área, o governo do Estado diminui a aplicação de recursos próprios”, destacou Tatto.

Enio Tatto, também, destacou a redução de investimentos em universidades. “No caso da USP, os investimentos sofreram redução de 72%, e na Unesp a diminuição chega a 99%”.

O petista Rui Falcão disse que o governador Serra critica o presidente Lula quando afirmou que o governo federal precisa investir em qualificação de funcionários. “O ditado faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço cabe perfeitamente ao governador, uma vez que o orçamento que ele encaminhou não prevê concursos públicos, reajuste salarial para os funcionários, mas apresenta aumento de gastos de terceirizados”, afirmou Rui Falcão.

Também participaram da coletiva à imprensa, os deputados do PT: Zico Prado, Roberto Felício, Cido Sério, Sebastião Almeida e Donisete Braga.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.