Osasco cobra mais saúde e habitação em audiência pública

25/05/2010 15:39:00

Orçamento 2011

 

Saúde e habitação foram as principais reivindicações da população que lotou a Câmara Municipal de Osasco nessa segunda-feira (24/5) durante a audiência pública que discutiu o Orçamento do Estado para 2011.

A construção de um Centro de Oncologia voltou a ser discutida. “Pacientes têm que percorrer longas distâncias para fazer quimioterapia e, às vezes, deixam de ir porque não têm transporte”, afirmou Clerismar Nogueira, do grupo OncoVida. O Centro de Oncologia foi uma das emendas aprovadas pela Comissão de Finanças e Orçamento no ano passado, mas foi incorporada ao Orçamento de 2010 apenas com recursos simbólicos.

“Pedimos R$ 4 milhões para essa emenda, mas o relator do Orçamento destinou apenas R$ 1 milhão para um conjunto de mais de 100 emendas, entre elas a construção do Centro, o que inviabiliza que saia do papel”, indignou-se o deputado do PT Marcos Martins, que é da região. Recentemente, ele encaminhou um abaixo-assinado à Secretaria Estadual de Saúde reivindicando o Centro de Oncologia para Osasco.

Carlos Eduardo Ventura, da Central Única de Favelas, lembrou que o município de Carapicuíba foi vítima das intensas chuvas do início do ano e que muitos vivem hoje em áreas de risco na cidade. “O Estado construiu apenas 3 mil unidades da CDHU. É pouco e sabemos da máfia que existe na construção desses apartamentos, como apurou a CPI na Assembleia Legislativa. Queremos urbanização já”, declarou Carlos Eduardo, que também reivindicou melhorias urgentes na Educação.

Neusa Santana Alves, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza, reiterou as condições precárias da Educação no Estado. “O governo construiu uma grande Fatec em Osasco, mas não há investimentos em profissionais, em manutenção. Não somos contra a expansão, desde que venha acompanhada de ensino de qualidade”, afirmou a sindicalista.

Ainda falando sobre Educação, o vereador Rubinho, do PT, lembrou que a Universidade Federal de Osasco, tão desejada pela população, já será realidade a partir do próximo ano. O vereador também falou sobre a precariedade do serviço prestado pela Sabesp na região.

Participação

Este é o sexto ano consecutivo em que a Comissão de Finanças e Orçamento percorre cidades da Grande São Paulo e do interior para debater com a população a arrecadação e os gastos futuros do governo do Estado. A realização deste trabalho é resultado da luta do Partido dos Trabalhadores na Assembleia em defesa de um Orçamento estadual regionalizado e participativo.

O deputado petista Enio Tatto, membro da Comissão de Finanças e Orçamento presente à audiência, afirmou que só com a regionalização do Orçamento haverá avanços significativos. “Vamos seguir com as audiências, cobrando, afinal são muitas as injustiças”, declarou o deputado.

A próxima audiência pública do Orçamento acontece em São Bernardo do Campo, na quinta-feira (27/5), às 10h na Câmara Municipal.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.