Outubro Rosa: conscientização e combate ao câncer de mama

01/10/2013

Direito à saúde

A Campanha Outubro Rosa é um alerta para a prevenção e o combate ao câncer de mama. Objetiva que todas as mulheres façam um momento de reflexão sobre os cuidados com o corpo, mas também ao poder público e ao conjunto da sociedade, para que as ações de enfrentamento à doença sejam fortalecidas.

O câncer de mama é o que mais afeta a mulher brasileira, com cerca de 52 mil novos casos detectados, anualmente, no país. A descoberta precoce da doença é uma forma eficaz de combater o câncer.

A deputada Ana Perugini, que coordena as atividades da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Mulheres, por diversas oportunidades tem afirmado que “é passada a hora de criarmos políticas públicas para as mulheres no Estado de São Paulo para garantir a promoção de direitos e de justiça social. O direito à saúde é um dos mais fundamentais que precisa ser efetivado a todas as cidadãs paulistas”.

Por meio de indicação, deputado Enio Tatto solicitou ao governo do Estado recursos orçamentários para o Hospital A. C. Camargo Cancer Center ” Hospital do Câncer de São Paulo, mantido pela Fundação Antonio Prudente.

Ministério da Saúde inicia campanha

O ano de 2012 registrou crescimento de 37% na realização de mamografias na faixa prioritária – de 50 a 69 anos – em comparação com 2010, no Sistema Único de Saúde (SUS). Os procedimentos somaram 2,1 milhões no ano passado, contra 1,5 milhões em 2010. No total, o número de exames realizados no último ano atingiu a marca de 4,4 milhões, representando um crescimento de 26% em relação a 2010. Para estimular a detecção precoce do câncer de mama, o Ministério da Saúde inicia campanha para conscientização das mulheres sobre o tema, reforçando as ações do movimento Outubro Rosa.

Em 2011, a presidenta Dilma Rousseff lançou o Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, estratégia para expandir a assistência oncológica no país. Atualmente, o SUS tem 277 serviços na assistência oncológica que atendem a 298 unidades hospitalares distribuídas nas 27 unidades da federação para a detecção e tratamento de câncer em todo País. Com o investimento do Governo Federal, mais de 3,6 milhões de sessões de radioterapia e quimioterapia foram feitas pelo SUS, com investimento de R$ 491,8 milhões em 2012. As cirurgias oncológicas também representam a preocupação com o combate contra a doença. No ano passado, foram investidos R$ 16,8 milhões.

Para agilizar o acompanhamento dos serviços oncológicos em todo o País, o Ministério da Saúde criou o Sistema de Informação do Câncer (Siscan). O software, disponível gratuitamente para as secretarias de saúde, permite o monitoramento do atendimento oncológico na rede pública por meio da inserção e processamento de dados, gerido pelo Ministério da Saúde. O sistema funciona em plataforma web e já tem a adesão dos 27 estados brasileiros, dos quais 17 já começaram a inserir os dados no sistema. O prazo para substituição dos demais sistemas pelo SISCAN termina janeiro 2014. A cobertura das informações também se estenderá a todos os tipos de cânceres. Até o momento, o sistema já recebeu mais de 104,3 mil requisições de exames, sendo 39,6 mil referentes a mamografias.

Como surgiu o Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org).

Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *