Panes aumentam em 170% cancelamentos das viagens do Metrô

24/08/2012

Caos no transporte

Nesta quinta-feira (23/8), nova pane prejudicou mais de 2 milhões de pessoas no metrô da capital

Os usuários no Metrô vivenciaram novamente no final da tarde e noite desta quinta-feira (23/8) momentos de caos para retornar do trabalho às suas casas. Uma falha em um trem estação da Luz, região central, causou atrasos e filas nas estações da linha 1-azul no final da tarde, afetou também a circulação das linhas 2-verde e 3-vermelha e prejudicou diretamente os cerca de dois milhões de pessoas que usam o metrô neste horário.

Passageiros foram impedidos de chegar às plataformas das estações para evitar superlotação e usuários chegaram a caminhar nos túneis da rede.

Aumento dos cancelamentos de viagens

As várias falhas operacionais no Metrô neste ano fizeram a empresa registrar aumento de 170% no cancelamento de viagens programadas. No mesmo período, o aumento da oferta de trens foi de 3,9%. As viagens canceladas são partidas de trens que estavam programadas e não foram feitas.

A relação de panes e viagens canceladas está em um relatório obtido pelo jornal O Estado de São Paulo por meio da Lei de Acesso à Informação. Os dados foram solicitados pelo Serviço de Informação ao Cidadão (SIC) que o Metrô mantém em seu site.

Entre os casos registrados, há até um incêndio, que aconteceu em 27 de março deste ano. Naquele dia, um curto-circuito no terceiro trilho (que transmite eletricidade ao trem) provocou o cancelamento de 78 partidas de trens. Segundo o relatório, o problema foi causado “provavelmente” pelo excesso de chuva que caiu na cidade naquela data.

No geral, o aumento no número de falhas de 2011 para este ano foi pequeno. Entre janeiro e maio do ano passado, foram 20 ocorrências. No mesmo período de 2012, o número cresceu para 23 casos. Mas o relatório mostra que as falhas deste ano foram mais graves: fizeram 496 partidas de trens serem suspensas, ante 184 no ano passado.

Falhas

No ano passado, segundo o relatório, a maior parte das falhas operacionais foi decorrente de problemas, por exemplo, no sistema de tração, de sinalização das portas e de freios dos trens – ou seja, problemas ligados aos equipamentos de cada composição. Nesses casos, a saída para a empresa manter a operação é remover a composição com problemas da linha.

Neste ano, ocorreram problemas nos trens e também nos sistemas auxiliares das linhas. A pane mais grave foi a batida entre dois trens, ocorrida em 16 de maio, que deixou 30 feridos.

*com informações da Agências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.