Partido dos Trabalhadores entrará com notícia crime contra Saulo de Castro

08/08/2006 11:50:00

Saulo tenta incitar a população contra o PT e criar um clima ruim na sociedade, afirmou na tarde desta terça-feira (8/8) o presidente do PT Estadual, Paulo Frateschi, em entrevista coletiva na sede do partido. “Ele tem que ser o promotor da paz, usar seu poder de polícia para combater o crime e não para combater seus adversários políticos, o que é uma lástima e uma irresponsabilidade”.

Frateschi acredita que o discurso adotado por Saulo tem refletido na campanha eleitoral. Na segunda-feira (7/8), foi detido em flagrante na Assembléia Legislativa o subtenente da reserva, Donato Aparecido de Biagi, que distribuía panfleto com acusações de vinculação dos ataques da facção criminosa PCC com o PT, os candidatos petistas Lula e Aloizio Mercadante e fazia campanha favorável ao candidato tucano Geraldo Alckmin. “A ação do subtenente é fruto desta incitação ao ódio que Saulo está fazendo”.

Opositores ao PT estão incorrendo no mesmo crime, analisa Frateschi. “Serra cometeu (no mês passado José Serra também chegou a insinuar relações entre PT e PCC), o subtenente da reserva cometeu e Saulo cometeu. Precisamos frear isto e contar com o apoio da sociedade para dizer a eles que não é assim que se faz campanha”.

As declarações estão sendo feitas, segundo o presidente, por motivações eleitorais. É necessário dialogar “para colocar cada assunto em seu devido lugar; a campanha eleitoral deve ser tratada com limpeza, com propostas, com debate público”.

Afastamento

Frateschi defendeu o afastamento de Saulo da Secretaria. “Para que o governador (Cláudio Lembo) preserve as prerrogativas do estado, é necessário que afaste imediatamente seu secretário. Ele macula a imagem do estado”, afirma Frateschi. Saulo não consegue ter o “equilíbrio suficiente para comandar 180 mil homens que cuidam da Segurança no estado”.

Notícia crime contra José Serra

Em meados de julho, o PT ingressou com uma notícia crime junto ao procurador regional eleitoral contra o candidato tucano ao governo do estado, José Serra, por difamação e difusão de fatos sabidamente inverídicos com propósito eleitoral. Serra sugeriu relações entre o PT e o PCC (Primeiro Comando da Capital).

“Buscam, na verdade, atribuir responsabilidade a quem não geriu o sistema de segurança pública de São Paulo nos últimos 12 anos”, diz nota assinada pelo presidente estadual, à época das declarações do candidato tucano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.