Passeata e abaixo-assinado contra desmatamento da Serra da Cantareira

30/11/2010 18:44:00

Rodoanel

 

 

Moradores da zona norte realizaram uma passeata no último sábado (27/11) contra as obras de extensão do Rodoanel. Estudos de impactos ambientais revelam que a obra vai destruir 100 hectares da Serra da Cantareira, além de desapropriar 2.784 imóveis e fechar 32 ruas.

“O traçado do Rodoanel tem que ser repensado. É uma megaestrada que vai cruzar florestas. A serra será furada”, denuncia Eduardo Brito, da Associação SOS Cantareira.

O abaixo-assinado contra o traçado da obra, que os moradores pretendem enviar ao Ministério Público Estadual, destaca que a área que deve ser desmatada é uma “zona de amortecimento da Serra, o que irá sem dúvida alterar substancialmente a qualidade de vida dos bairros de seu entorno, aumentando a propensão das ilhas de calor na região Norte e demais regiões paulistanas que já sofrem com as mudanças climáticas e com a poluição devido à expansão descontrolada da mancha urbana.”.  

A Associação SOS Cantareira listou várias espécies que ainda sobrevivem na Serra e podem ser extintas em São Paulo com a poluição, o barulho e o desmatamento provocados pela extensão Norte do Rodoanel; entre elas, gavião pombo, araponga, uru e macuco.

Ambientalistas denunciam ainda que as obras do Rodoanel já destruíram 220 hectares do Cinturão Verde de São Paulo, o equivalente a 50% do desmatamento ocorrido em São Paulo entre os anos de 2005 e 2008.

Considerada a maior floresta urbana do Planeta, a Cantareira é a única área nativa de Mata Atlântica na capital paulista e, portanto responsável pela dispersão de poluentes e regulação climática.

A Secretaria do Meio Ambiente vai iniciar no dia 07 de dezembro uma série de audiências públicas com a população impactada diretamente pela construção do trecho norte do Rodoanel, moradores da capital, Arujá e Guarulhos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *