Política de Alckmin de encarceramento em massa aumentou criminalidade

19/08/2015

Insegurança pública

“Ao juntar as lideranças num mesmo ambiente, propiciou o surgimento do PCC”. Essa é a avaliação do deputado estadual Marcos Martins, apresentada no último sábado (15), quando o núcleo do PT da Macrorregião de Osasco reuniu cerca de 100 colaboradores no município em encontro para discutir a conjuntura política, falar da ação dos deputados estaduais da legenda na Assembleia Legislativa e ouvir a militância. O encontro faz parte de uma série de agendas estabelecidas pela cúpula do partido e que busca maior diálogo das lideranças com suas bases.

Segundo o diretório regional, as reuniões estão sendo realizadas simultaneamente em todas as macrorregiões do Estado, cada uma com a presença alternada de um dos deputados do partido. A plenária em Osasco teve como destaque a participação do deputado estadual Marcos Martins, cuja base eleitoral é justamente a região oeste metropolitana da capital. A equipe do deputado fez uma apresentação contundente do panorama político tanto na Assembleia Legislativa quanto no estado de São Paulo, seguida pela palestra do especialista em transportes públicos da bancada do partido, Evaristo de Almeida.

“É importante que a população como um todo, não apenas a militância, tenha conhecimento da precariedade em que se encontra cada área do nosso estado desde que o PSDB assumiu o governo”, ponderou o deputado petista. “Além disso aproveitamos para destacar a ação da bancada do PT ao longo dos últimos anos na Alesp, que embora esteja reduzida, faz um importante papel de oposição ao governo do Estado.”, completou Martins. A ação faz parte de uma estratégia do partido para munir a população de informações seguras e fazê-la entender como o PSDB construiu uma base de apoio na Assembleia Legislativa que acabou por eliminar qualquer possibilidade de investigações sobre seus desmandos.

Segundo dados apresentados na ocasião, só na última legislatura foram 20 coletas de assinatura para pedidos de CPI além de 37 representações da bancada do PT em 2014 e 6 em 2015 junto aos Ministérios Públicos Federal, Estadual e Eleitoral; ao CADE e Tribunal de Contas do Estado. No entanto qualquer pedido de investigação contra o governo do estado é barrado pela bancada governista, que atualmente conta com mais de 70 deputados. “Com ampla maioria, as suspeitas de corrupção nos contratos do metrô paulistano e na Sabesp são sistematicamente engavetadas”, revelou Martins.

Na área da segurança pública a equipe do deputado destacou o surgimento da maior facção criminosa do país, que foi gestada durante a administração do PSDB no governo do Estado. “Dados mostram que a política de encarceiramento em massa do governo paulista não reduziu a criminalidade, pelo contrário, ao colocar as lideranças em um mesmo ambiente, proporcionou o surgimento do PCC, conforme apontam documentos do Wikileaks. Hoje temos a maior taxa de detenção de negros do país, um total de 72 presídios construídos ou em construção e nenhuma universidade nova”, destacou o deputado.

A saúde também foi destaque no encontro. A crise no Hospital Universitário da USP, no Hospital do Servidor e nas Santas Casas foi utilizada como exemplo do privilégio que a gestão Alckmin concede ao sistema privado em detrimento à saúde pública. “Segundo o provedor da Santa Casa, o estado de São Paulo não repassou verbas do governo federal à entidade. Este é um crime hediondo, brincar com a saúde da população. As reformas de alguns hospitais se arrastam a anos, diminuindo o número de leitos e sobrecarregando as unidades de diversos municípios”, lamentou o deputado petista.

A má gestão da água, recentemente apontada pelo TCU como responsabilidade do governo do estado, o descaso com a educação, evidente na maior greve de professores estaduais da história e o alto índice de trabalho escravo espalhado pelo estado também foram lembrados na apresentação. “É hora de dar um basta na blindagem que cerca o governo de São Paulo, praticada especialmente pela grande mídia. Não existe uma área que não tenha graves problemas de gestão, sempre com suspeitas de corrupção ou improbidade. Com o aparelhamento da Assembleia Legislativa, cabe a nós, deputados do PT, levar informações à população, que não pode ficar refém desses crimes”, concluiu.

Da assessoria de imprensa do deputado Marcos Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.