Prefeitos da região de Osasco se unem e criam Frente contra a Sabesp

22/10/2009 16:11:00

Contra a Sabesp

Revoltados com os ataques da Globo, eles agora vão combater a Sabesp, que é a responsável pela poluição do rio Tietê e pela má qualidade do saneamento nas cidades

“A Sabesp agora vai se lascar. Ela vai comer fogo com a gente”. Foi assim que o prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PMDB), definiu o que vai acontecer com a companhia a partir de agora, com a criação da Frente dos Prefeitos da Região Oeste contra a empresa. Indignados com a série de entrevistas feitas pela Rede Globo, nas quais foram responsabilizados pelos altos índices de poluição do rio Tietê, os prefeitos decidiram colocar “os pingos nos is” e declarar guerra à verdadeira culpada pelas ineficiências dos serviços de água e de esgoto: a Sabesp.

A união dos prefeitos foi anunciada ontem, no gabinete do prefeito de Osasco, Emidio de Souza (PT), e contou com as presenças, além de Furlan, do prefeito José Carlos Alves “Bananinha” (PT-Pirapora do Bom Jesus) e de representantes dos prefeitos Silvinho Peccioli (DEM-Santana de Parnaíba), Sergio Ribeiro (PT-Carapicuíba), Ruth Banholzer (PT-Itapevi) e Braz Paschoalin (PSDB-Jandira).

“Vamos reagir conjuntamente e acabar com essa história de que o problema de saneamento é das prefeituras, pois nós concedemos o serviço à Sabesp e ela não está fazendo o que devia”, afirmou Emidio.

Furlan destacou que qualquer decisão sobre o tema será tomada em conjunto pelos prefeitos, de maneira que a Sabesp não vai mais tratar com cada prefeitura em particular. “Agora a conversa vai ser mais forte e vamos aumentar mesmo o tom de voz”, garantiu.

Furlan ponderou que “não foi correto” a Globo responsabilizar as administrações da região “por todas as desgraças ambientais que estão acontecendo no Estado, de Salesópolis a Barra Bonita”, e reclamou que as entrevistas foram uma verdadeira “inquisição”. “Nós levamos na cara aquela cobrança. Agora a Globo vai ter que terminar o que começou e

nós vamos pra cima, mas não da Globo, e sim da Sabesp”, explicou.

O barueriense disse ainda que foi generoso e “muito mole” com a companhia até hoje, e que já devia “estar batendo nela há muito tempo”. “Vamos pedir pra Globo mostrar há quanto tempo que a Sabesp está nos enganando e por quanto tempo mais ela quer nos enganar”, disparou.

Bananinha denunciou que a Sabesp não presta a devida atenção à Pirapora, que é uma das cidades mais prejudicadas pela poluição do Tietê. Já o vice-prefeito de Itapevi, Jaci Tadeu, contou que a cidade só recebeu investimentos após a prefeitura pressionar a concessionária e apontou os danos ambientais causados pela companhia.

Próximos passos

O grupo já anunciou algumas medidas para combater a Sabesp. A primeira será a solicitação de reunião com o presidente da companhia, Gesner Oliveira, para discutir os problemas e pressionar pela melhoria dosn serviços. Os prefeitos pretendem, na seqüência, visitar a Estação de

Tratamento de Esgoto localizada em Barueri, junto com representantes da Sabesp, técnicos, secretários das prefeituras, vereadores e imprensa, para saber o porquê da empresa não tratar o esgoto da região.

Além disso, os prefeitos vão enviar um ofício à Sabesp pedindo

informações detalhadas sobre a arrecadação da concessionária em cada cidade da região e sobre seu plano de investimentos.

Serra também é culpado

Emidio e Furlan ressaltaram que, se a Sabesp não atender às

expectativas da Frente e se a pressão sobre ela não surtir efeito, os prefeitos vão pedir audiência com o governador José Serra (PSDB), já que a companhia é controlada pelo governo. “Nós não vamos poupar o governo do Estado, porque ele tem muita responsabilidade sobre esse problema”, frisou Furlan, acrescentando que Serra não pode se isentar da questão, já que ela diz respeito à saúde pública.

Ministério Público

Além disso, a Frente falou sobre a importância do Ministério Público ingressar na “guerra” contra a Sabesp, já que hoje ela é, nas palavras de Emidio, “uma das maiores responsáveis pelo passivo ambiental da região”. Furlan ironizou que a dita “maior empresa de saneamento da América Latina” não está cumprido com suas obrigações na região e isso

deveria ser cobrado pelo Ministério, que “precisa sair da cadeira e entrar nessa luta”.

Frente cogita rompimento contratual conjunto e até indenização da Sabesp Durante a reunião, os prefeitos falaram até na possibilidade futura das 7 prefeituras da Frente romperem seus contratos de concessão com a Sabesp.

Emidio explicou que essa medida poderá ser tomada num segundo momento e que “vai depender do comportamento da Sabesp e das ações ou falta de ação dela”. “A Sabesp precisa ser chamada à responsabilidade. Se ela não for razoável, vamos começar a radicalizar e a endurecer passo a passo”, assegurou.

O vice-prefeito de Itapevi contou que a prefeitura já estuda

atualmente a possibilidade de romper o contrato. Já Furlan apontou que, se for necessário, a Frente pode, até mesmo, “começar a exigir indenização pelas desgraças que a Sabesp causa na região”.

fonte: Diário da Região (Osasco/SP), 22/10/09

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *