Professores cobram valorização da categoria e melhoria na Educação

24/05/2012

No Estado de SP

Professores cobram valorização da categoria e melhoria na Educação do Estado

Professores e entidades de classe lotaram a reunião da Comissão de Educação que aconteceu nesta quarta-feira (23/5) e que contou com a presença do secretário de Estado da pasta, Herman Voorwald.

O presidente da Comissão, o deputado do PT Simão Pedro, lembrou que o plenário repleto representava a luta permanente da categoria pela melhoria da Educação.

Após prestar contas das ações da secretaria, Herman foi questionado pelos deputados e representantes de entidades. A valorização do magistério foi uma das maiores demandas.

A presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha, falou sobre a jornada da Lei do Piso, que o governo do Estado insiste em descumprir. “A justiça nos deu ganho de causa. O governo tem um instrumento protelatório, mas o STF vai dar a decisão final”. Herman, em tom de ameaça, afirmou que caso o governo seja obrigado pela justiça a implantar a jornada da Lei do Piso, isso implicará em mais contratações e, consequentemente, “menos espaço para negociação salarial”.

O reajuste parcelado concedido à categoria no ano passado também foi tema de discussão. Maria Izabel disse que os 10,2% prometidos para 2012 viraram 5,2%, já que os outros 5% correspondem à incorporação da GAM, que já havia sido conquistada pelo magistério paulista.

As férias repartidas, a longa espera do professor no processo de aposentadoria, que pode chegar a três anos, a falta de um Plano Estadual de Educação, a maneira impositiva por meio da qual estão sendo implantadas as escolas de período integral foram outras críticas feitas à política educacional do Estado.

O deputado Simão Pedro perguntou sobre o polêmico fim das aulas de reforço que o governo anunciou esse ano. De acordo com o secretário, como não havia demanda, elas acontecerão de acordo com a necessidade de cada escola. “Isso me incomoda porque temos esse velho problema de alunos que não aprendem o que era esperado”, afirmou Simão.

A falta de estrutura das escolas também foi discutida. Fotos da quadra de uma escola totalmente tomada pelo mato foi exibida. Deputados lembraram que o orçamento da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação) deveria servir para isso, mas a FDE está envolvida numa série de regularidades e seu presidente, Bernardo Ortiz, apesar de convocado, não comparece à Comissão de Fiscalização e Controle.

Sobre alguns pontos, como a demora para as aposentadorias, o secretário concordou e afirmou que vai resolver o problema. Mas o deputado do PT Geraldo Cruz lembrou bem que quando Herman fala em corrigir problemas nas mais diversas áreas parece se esquecer que é o mesmo partido que está no governo há mais de duas décadas.

Os deputados do PT João Paulo Rillo, Telma de Souza e Hamilton Pereira também participaram da reunião.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.