Projetos de sucesso de inclusão social são apresentados em seminário

18/06/2009 16:02:00

Inclusão

Crédito:

 

 

Em conjunto com o ITS Brasil (Instituto de Tecnologia Social) foi realizado um seminário sobre tecnologias para a promoção do desenvolvimento social, em 18/6, por iniciativa do deputado Antonio Mentor.

Como representante do ITS, a ex-deputada Irma Passoni, que é atuante no setor, falou sobre a importância do uso de tecnologias para promover a inclusão, tanto de pessoas com deficiência física, como financeira.

Osasco

O Prefeito de Osasco, Emídio de Souza, atualmente no segundo mandato, falou sobre experiências de trabalhos realizados no município e o projeto “economia solidária e geração de trabalho e renda”.

Emídio apresentou algumas incubadoras como: reciclagem e plantio de vegetais orgânicos que foram implantadas com o objetivo de capacitar profissionalmente pessoas em situação de risco além de gerar renda. Representantes destes projetos utilizaram da tribuna para enfatizar os trabalhos de inclusão e, uma indígena da etnia Pancararé, falou sobre a importância do acolhimento e capacitação que o município de Osasco promoveu para as minorias indígenas remanescentes que vivem em ambientes urbanos.

Segundo o prefeito, este trabalho, além de gerar emprego e renda, devolve dignidade para as pessoas, “a partir destes projetos eles se sentem novamente cidadãos e membros participantes da sociedade”, disse.

O deputado Rui Falcão, líder do PT na Assembleia, que parabenizou o deputado Mentor pelo evento e afirmou que “não basta crescimento econômico para que um país melhore, ele precisa de desenvolvimento, ou seja, a população precisa ter acesso a informação e participar da democracia. Ao invés da competição, precisamos de colaboração, este é o caminho”, disse.

Palestrantes

O seminário contou com a apresentação do professor Dr. Jesus Carlos Delgado Garcia, que é Gerente de Projetos do ITS Brasil, e falou sobre o tema “desafios da tecnologia assistiva para a autonomia e inclusão das pessoas com deficiência”.

Jesus apresentou diversos equipamentos com a finalidade de amparar os deficientes em ações do dia-a-dia, como: periféricos para PC, talheres, mobiliário e outros equipamentos adaptados.

Segundo ele, a deficiência é imposta para a sociedade, “a sociedade descartou as pessoas com deficiência, na hora de construir prédios, ruas, sistema de transporte e equipamentos”, disse.

Dra. Maria Cândida Del-Masso, que é professora e pró-reitora da Unesp, apresentou o painel, “Reflexões sobre a inserção do deficiente no Mercado de Trabalho” (tese do seu doutorado).

A professora explanou sobre as dificuldades encontradas pelos deficientes e pelas empresas para promover postos de trabalho.

Segundo ela, de um lado estão as empresas que possuem cotas para deficiente e não conseguem preencher as vagas, devido a não capacitação das pessoas que estão na fila para estas oportunidades, e não conseguem encontrar um meio para a realização do treinamento e profissionalização junto aos órgãos públicos.

Do outro lado, estão os deficientes que querem trabalhar, mas, por terem adquirido de forma precoce a incapacidade, não tiveram tempo de se prepararem para o mercado.

Maria ainda enfatiza a necessidade de disciplinas que falem sobre o mercado de trabalho no currículo escolar dos primeiros anos do ensino fundamental. Segundo ela, a maioria dos deficientes para de estudar nos primeiros anos, e não possui nenhuma noção do mercado de trabalho, eles se tornam segregados e dificilmente terão alguma chance de competir por uma vaga de trabalho.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.