PT apóia projeto para cargos de professores da USP Zona Leste e defende autonomia universitária

15/05/2007 13:00:00

Os deputados da Bancada do PT na Assembléia Legislativa votaram favoralmente, na tarde de hoje (15/5), ao Projeto de Lei Complementar nº 32/06 que cria 1.900 cargos de professor-doutor no quadro de pessoal docente da Universidade de São Paulo.

Com a reforma do Estatuto da Universidade, o início de carreira para professor universitário passou a ser professor-doutor, extinguindo-se o cargo de professor assistente, é esta a razão da criação dos novos cargos. Aliado a isso, a expansão da Universidade, por exemplo, com o campus da Zona Leste, também gera a necessidade de mais docentes.

O líder do PT, deputado Simão Pedro, explicou que docentes e alunos da universidade procuraram os deputados da Casa solicitando a aprovação do projeto. Ele esclareceu que “a votação a favor do PCL nº 30, por parte da Bancada, é uma contribuição para a instituição ao garantir segurança aos seus profissionais e, ainda, assegurar o crescimento da USP Leste, que é uma importante conquista de uma região de sete milhões de habitantes”.

Todos os deputados petistas posicionados a favor do projeto, fizeram questão de ressaltar em seus discursos na tribuna do Plenário a grave questão que atinge as universidades no Estado: a quebra da autonomia universitária proporcionada pelo governo José Serra.

“As universidades estão sendo atacadas em sua autonomia, com a ingerência política do governo, que impede os reitores de remanejarem recursos”, afirma Simão Pedro.

O deputado Rui Falcão explicou que “a Bancada dos deputados petistas ao votarem a favor do projeto que cria cargos de professores toma uma atitude de valorização da universidade, uma vez que o pessoal é recurso indispensável. Por outro lado, o governo tucano caminha em outra direção ao quebrar a autonomia universitária”.

Também os deputados Hamilton Pereira, Mário Reali e Maria Lúcia Prandi repudiaram o autoritarismo do governador, ao desrespeitar uma conquista da Constituição de 1988 e que foi consolidada pela Constituição Estadual de 1989 que foi a autonomia universitária, o direito dos reitores remanejarem e investirem recursos destinados às instituições pelo Orçamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.