PT fará mediação pela reabertura de negociações na greve dos residentes

31/08/2010 18:02:00

Mobilização

 

 “A  nossa disposição é de intermediar a solução para o impasse hoje existente com relação às reivindicações dos médicos residentes, que realizam um movimento de greve há 13 dias. Isto porque sabemos que o residente é fundamental e imprescindível no sistema de saúde do país”, declarou o deputado Fausto Figueira, presidente da Comissão de Saúde e Higiene, ao abrir a audiência pública que discutiu os problemas de remuneração e as condições de trabalho da categoria.

Na mesma mesa, em frente a uma plateia de mais de 300 residentes, sentarem-se parlamentares, representantes da categoria, do governo federal e estadual e associações de classe – Sindicato dos Médicos, Associação Paulista de Medicina e Conselho Regional de Medicina.

Paulo Navarro, da Associação dos Médicos Residentes do Estado de São Paulo, fez um apelo para que as negociações entre as partes sejam reabertas imediatamente. “Queremos reabrir o diálogo, ouvir os argumentos, porque ora se fala que quem trava a negociação é o governo federal, ora é o governo do Estado e ora as Santas Casas”, explicou Navarro.

O representante dos residentes explicou que o movimento é pela valorização, com reajuste do valor da bolsa de estudo e melhoria das condições de trabalho. Segundo ele, a desafagem da bolsa chega a 38,7%.

O MEC – Ministério da Educação e Cultura – que fixa o valor da bolsa a ser paga pelas instituições fez uma contraposta de reajuste de 20%. A Comissão Nacional de Greve entregou uma contraproposta de aumento de 28,7% imediato e mais 10% em setembro de 2011. Em comunicado, o governo federal reiterou a oferta feita na semana passada de aumento de 20% a partir de janeiro de 2011.

A atitude propositiva de Fausto Figueira, na audiência pública, foi recompensada com a promessa do coordenador de Recursos Humanos da Secretaria Estadual de Saúde, Paulo Seixas, de que no Orçamento de 2011, que será enviado à Assembleia Legislativa em setembro para votação, o governo do Estado irá incluir o percentual do aumento que está sendo proposto, de 20% e mais a garantia de manter o número de bolsas, que hoje é de 4.880.

O deputado Adriano Diogo, que também participou da audiência se solidarizou com o movimento dos residentes e junto com Fausto Figueira devem fazer gestão juntos aos órgãos competentes para a reabertura das negociações.

A audiência aconteceu nesta terça-feira (31/8), no auditório Franco Montoro.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.