PT obtém apoio para Seminário Paz nas Escolas

26/11/2008 18:23:00

Em defesa da escola pública

Crédito:

 

A Comissão de Educação aprovou nesta quarta-feira a realização do Seminário Paz nas Escolas, proposto em requerimento pelo deputado Simão Pedro. Presidente da Comissão de Educação, o deputado petista propôs o seminário com o objetivo de discutir as causas da epidemia de violência nas escolas públicas com a própria comunidade escolar. Pais, alunos, professores e representantes de entidades da categoria serão convidados para participar do evento, no dia 10 de dezembro.

“Sabemos que a violência é um problema cotidiano na rede pública de ensino de São Paulo. A comunidade escolar sofre diariamente, mas o restante da população só fica sabendo dessa realidade quando um fato mais grave como o ocorrido na Amadeu Amaral aparece na imprensa”, explicou Simão Pedro, referindo-se aos confrontos e depredações ocorridos na Escola Estadual Amadeu Amaral, no dia 12 de novembro. No ápice da violência, a escola chegou a ser ocupada pela PM.

A seção Tendências e debates do Jornal Folha de São Paulo destaca o problema na edição do dia 26 de novembro no artigo “Como interpretar o vandalismo nas escolas?“, da educadora Dagmar Maria Leopoldi Zibas.

“As esferas oficiais tendem a minimizar suas esponsabilidades, relacionando as dificuldades constatadas ao grande aumento da matrícula em todo o ensino básico. Mais difícil é reconhecer os efeitos deletérios das políticas dos anos de 1990, que, em São Paulo, são maximizados pela prolongada continuidade político-administrativa no Estado”, explica a educadora, que aponta em seu artigo a necessidade de mapeamento da decadência da escola pública. O deputado Simão Pedro sinaliza na mesma direção. “Queremos trazer especialistas ao Seminário para aprofundar o assunto”, explica.

Comissão convida Secretária

A Comissão de Educação aprovou ainda requerimento para convite da Secretaria da Educação Maria Helena Guimarães de Castro à reunião extraordinária marcada para o dia 03 de dezembro. Os deputados Roberto Felício e Maria Lúcia Prandi, também presente à Comissão nesta quarta-feira, já haviam apresentado requerimentos para convocação da secretária.

O requerimento dos deputados petistas pedia esclarecimentos sobre a pauta de reivindicações dos profissionais da Educação, encaminhada à Secretaria em janeiro de 2008, o Decreto 53.037/08, que trata de concursos e normas de remoção, substituição e contratação no setor, e ainda sobre o gasto de R$ 2 bilhões em programa de formação continuada. Esses e outros assuntos devem estar na pauta da reunião extraordinária da Comissão de Educação convocada para a próxima quarta-feira.

As omissões e equívocos das políticas educacionais – como as adotadas pela atual gestão – foram apontados no artigo da educadora Dagmar Zibas como responsáveis pelo vandalismo que tomou conta da rede pública de ensino. “É um grito de revolta pela precariedade das instalações e dos recursos didáticos, pela debilidade da formação do magistério e pelas sofríveis condições do trabalho docente.”, acredita a educadora.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *