PT pedirá escolta ao vereador ameaçado de morte

10/04/2012

Apoio e solidariedade

As ameaças e intimidações sofridas pelo vereador do PT da cidade de Limeira, Roney da Costa Lima, foi pauta da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Adriano Diogo, nesta terça- feira (10/4).

Na ocasião, o vereador relatou aos deputados presentes a sequência de perseguição, ameaças e intimidades desferidas contra ele e seus familiares, a partir das denúncias por ele apresentada sobre um esquema de desvio de recursos públicos, com o envolvimento de uma empresa que fornecia merenda escolar.

Segundo o vereador, o então prefeito da cidade Silvio Félix do PDT teve o mandato cassado em fevereiro deste ano, a partir das investigações realizadas pela Comissão processante que teve Roney como relator.

O ex-prefeito foi alvo de investigações do Ministério Público Estadual, que apontou que o montante desviado poderia ultrapassar a casa dos R$ 20 milhões. Ainda de acordo com apuração o prefeito por meio de laranjas chegou a adquirir mais de 50 imóveis.

Como meio de retaliar as ações do vereador petista, as apurações preliminares apontam que pessoas próximas ao prefeito passaram a orquestrar ameaças por meio de torpedos, telefonemas e inclusive por meio das redes sociais, como twitter e facebook.

Ainda de acordo com o vereador, embora tenham registrado todas as ameaças e intimidações, quase nada avançou no processo de investigação policial. Isso o motivou a procurar ajuda dos deputados Antonio Mentor, que é da região, e Simão Pedro, que intercedeu para um encontro de Roney com o procurador geral do Estado, Fernando Grella.

Para o vereador, uma das possibilidades do inquérito não ter avançado é que o delegado da cidade é irmão de um dos vereadores cassados junto com o prefeito. ”O delegado alegou que não tinha conseguido avançar nas investigações e chegou a arquivar o inquérito, com a nossa ida ao procurador houve contato com o promotor da cidade que reabriu o caso e passou a investigar a autoria das ameaças,” destacou Roney.

Apoio e solidariedade

Os deputados petistas Alencar Santana, líder da Bancada, Antonio Mentor, Isac Reis, Beth Sahão, João Paulo Rillo, Marco Aurélio, José Zico Prado, assim como o presidente da Comissão deputado Adriano Diogo, foram unânimes em manifestar apoio e solidariedade ao vereador.

As ameaças ao vereador são um atentado à Democracia e ao Poder Legislativo, protestou Alencar. Nesta mesma linha, João Paulo Rillo declarou: ” O Brasil já deixou a ditadura, mas a ditadura ainda não deixou o nosso país”.

Antonio Mentor ressaltou que a Bancada, há uma semana, esteve na cidade onde empenhou apoio ao vereador, buscou informações das investigações e pleiteou empenho e celeridade nas apurações. Isac Reis e José Zico Prado exaltaram o orgulho dos deputados por ter Roney na fileira dos comprometidos com a defesa dos interesses da população.

Encaminhamento

Os parlamentares estaduais do PT definiram algumas ações da Bancada para garantir que o vereador Roney tenha assegurada sua integridade moral e física e mantenha-se em exercícios de seu mandato parlamentar.

Dentre as propostas estão a produção de uma moção a ser encaminhada ao governador do Estado, proposta pelo deputado Marco Aurélio, “para que o governador Geraldo Alckmin não venha a público dizer que desconhecia o problema,” ponderou.

Também foi proposto a realização de um Ato de Desagravo, na cidade de Limeira, em apoio ao vereador e a organização de uma audiência pública com a participação de integrante do Ministério da Justiça e do governo do Estado, para viabiliza convênio entre os dois entes governamentais que garanta a segurança do parlamentar municipal. De imediato, deverá ser agendada uma audiência com o secretário de segurança pública do Estado, Antonio Ferreira Pinto, para possibilitar que o vereador disponha de escolta policial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.