PT resiste ao rolo compressor na CPI da Bancoop

07/04/2010 19:23:00

CPI

 

 

Na primeira sessão da CPI da Bancoop, a Bancada do PT resistiu e derrubou a tentativa de manobra da base governista de deliberar a pauta da reunião sem a prévia divulgação do conteúdo.

Logo no início dos trabalhos, o presidente informou aos participantes a nomeação do deputado Bruno Covas (PSDB) como relator da CPI. Os deputados petistas, Vanderlei Siraque e Vicente Cândido, indagaram sobre a parcialidade do presidente, quanto a indicação dos cargos de comando da comissão, uma vez que a presidência e a relatoria ficaram com o PSDB e a vice–presidência com a base aliada.

Na quarta-feira da semana passada, os deputados Antonio Mentor, líder da Bancada, e Vanderlei Siraque protocolaram requerimento de convocação do promotor José Carlos Blat, promotor de Justiça, e João Vaccari Neto, presidente da Bancoop no período 2005 a 2010.

Hoje (7/4), logo no início dos trabalhos, o presidente da CPI informou aos participantes a existência de cinco requerimentos, sendo que nenhum dos documentos foi publicado como manda o regimento interno da Assembleia.  

Os deputados Vanderlei Siraque e Vicente Cândido apresentaram uma questão de ordem, que é o dispositivo regimental de questionamento dos procedimentos da condução dos trabalhos legislativos, que deverá ser respondido na próxima reunião da Comissão. “Não podemos correr o risco de termos nossos trabalhos questionados na Justiça por falta de cumprimento dos preceitos legais, observou Vicente Cândido.

Por cerca de uma hora os parlamentares petistas fizeram o embate e questionaram o rolo compressor do presidente e a falta de legalidade nos encaminhamentos da sessão. Ao final, os tucanos recuaram e nada foi deliberado.

O deputado Vanderlei Siraque defendeu o requerimento apresentado pelo PT de convocação do ex-presidente da cooperativa e do promotor, para que os fatos se esclareçam com a maior brevidade possível.

 “Nós queremos a verdade. Caso tenha ocorrido alguma irregularidade na relação de consumo, pessoas tenham sido lesadas, nós vamos tomar conhecimento. Mas não queremos pirotecnia política para fazer da CPI palco de debate eleitoral”, apontou Siraque.        

 A próxima reunião acontecerá na próxima terça-feira (13 de abril), às 11 horas.   

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *