PT une-se a estudantes na busca de solucão para o Hospital Universitário da USP

15/12/2017

Crédito:

O líder do PT na Alesp, Alencar Santana Braga, e o chefe de gabinete Antonio Mentor reuniram-se com o secretário estadual da Saúde, Davi Uip, nesta sexta-feira,15/12, para tratar da grave situação do Hospital Universitário da USP.

Os presidentes do DCE da USP, Matias Cardomingo, do Centro Acadêmico da Faculdade de Medicina, Alice Baer, e do Centro Acadêmico da Faculdade de Enfermagem, Rayana Pereira Dias, participaram do encontro com o objetivo de encontrar alternativas para evitar a interrupção de serviços e o fechamento do hospital.

Davi Uip disse conhecer bem a situação do HU, mas adiantou que qualquer atuação da Secretaria da Saúde depende de um posicionamento e de uma manifestação do Conselho Universitário da USP.

O secretário acrescentou que a transferência do HU para a gestão direta do Estado tem problemas. Um deles é padrão de remuneração dos profissionais do hospital, que tem níveis salariais bem superiores aos da rede de saúde pública do Estado.

Os representantes das entidades estudantis argumentam que o hospital tem especificidades que o diferenciam dos demais estabelecimentos do Estado, o seu papel no ensino, pesquisa e atendimento. Por isso, pediram que o governo estadual abra canais de discussão com todos os setores que estão engajados em encontrar caminhos para salvar o HU: estudantes, docentes, profissionais da saúde, comunidade universitária e população usuária. Para eles, é preciso encontrar uma solução política.

O HU atravessa, desde 2014, sua pior crise. A reitoria abandonou o hospital, fez várias demissões, fechou serviços, leitos de internação e o pronto-atendimento infantil.

Além de ser uma referência para o atendimento médico da comunidade universitária e da população dos bairros vizinhos, algo próximo de 500 mil pessoas, o Hospital tem importância essencial para o ensino e pesquisa.

Ali são ministrados cursos de diversas especialidades, onde os estudantes de medicina têm 40% de seus estágios e os residentes médicos recebem ensinamentos práticos e teóricos que complementam sua formação.

Os estudantes da Faculdade de Medicina entraram em greve no dia 13 de novembro para denunciar o sucateamento do hospital, a falta de professores e as demissões de vários profissionais. A faculdade não vivia uma greve de estudantes desde a década de 70.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *