PT vai convocar presidente da Alstom e da Eletropaulo na CPI

02/06/2008 19:08:00

Caso Alstom

Crédito:

 

A Bancada do PT na Assembléia Legislativa vai utilizar a CPI da Eletropaulo, que investiga o processo de privatização da Eletropaulo em 1998, para apurar os contratos irregulares dos governos tucanos com a empresa francesa Alstom, inclusive a suspeita de um esquema de pagamento de propinas.

O Ministério Público da Suíça, que também investiga o caso, enviou documentos ao governo brasileiro que indicam irregularidades em um contrato realizado com a Eletropaulo, entre 1997 e 1998.

O presidente da CPI, o deputado petista Antonio Mentor, apresenta requerimento de convocação dos presidentes da Eletropaulo (Eduardo José Bernini) e da Alstom (José Luiz Alquéres) na época, nesta terça-feira (3 de junho), as 14h30, para darem explicações sobre os contratos.

Outro encaminhamento será o agendamento da convocação de David Zylbertajn, então secretário de Energia do governo Mario Covas.      

Segundo os documentos enviados ao Brasil, empresas “offshore” teriam sido utilizadas para repassar, entre 1998 e 2001, até R$ 13,5 milhões em propinas para políticos e autoridades de São Paulo, em valores atualizados. As suspeitas são de que os pagamentos foram feitos por intermédio de serviços de consultoria que nunca existiram, durante os governos de Mário Covas e Geraldo Alckmin.

Recentemente a reportagem do jornal O Estado de São Paulo apurou que um único contrato de consultoria teria sido usado para dar cobertura a mais da metade das propinas supostamente pagas, entre outubro de 1998 e 2001, as pessoas ligadas ao governo de São Paulo, então sob o comando do PSDB. Segundo as investigações do Ministério Público da Suíça, o contrato foi fechado entre a Alstom e a offshore MCA Uruguay Ltda. Outras offshores fecharam contratos da mesma natureza.

As propinas inicialmente prometidas a servidores e pessoas ligadas ao governo paulista, pagas por meio da MCA e outras offshores, segundo as investigações do Ministério Público da Suíça, chegariam a quase 15% (R$ 14,7 milhões atualizados) do valor total do contrato entre a Alstom e a Eletropaulo.

A CPI da Eletropaulo, instituída em novembro de 2006, tem como integrante os deputados Antonio Mentor que preside os trabalhos e Enio Tatto, líder da Minoria na Assembléia Legislativa de São Paulo.   

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *