São Carlos: protesto contra o governo do Estado marcou audiência do Orçamento

10/06/2010 22:54:00

Orçamento 2011

 

O protesto pelo não atendimento das reivindicações, apresentadas nas audiências do Orçamento em 2009, pelo governo do Estado foi recorrente entre os participantes do encontro deste ano, na Câmara Municipal de São Carlos, na quinta-feira (10/6).

”O grupo que domina o Estado de São Paulo há muitos anos tem atendido muito pouco os anseios da população. No ano passado, estiveram presentes aqui representantes de 22 municípios da região e quando convidados para participar da audiência este ano, expressaram seu descontentamento por suas aspirações não terem sequer levadas em conta pelo poder executivo estadual”, desabafou o presidente da Câmara Municipal de São Carlos, vereador Lineu Navarro.

Segundo ele, as reivindicações para o Orçamento paulista eram muito básicas, citando como exemplo o fato do IAMSPE de São Carlos não existir na prática, porque não foi contemplado no plano de expansão. O pedido é para ter uma rede de atendimento na cidade.

Concordando com o vereador sobre este descaso do governo tucano, o deputado Enio Tatto explicou que, no ano passado, a Comissão de Finanças e Orçamento da Assembleia Legislativa de São Paulo entregou, de forma oficial, ao secretário de Planejamento um relatório sistematizado com todas as propostas advindas das audiências e ainda havia um técnico desta secretaria que acompanhava os encontros. “No entanto, o governo ignora por completo. Mas temos que perseverar, porque este é caminho para a democratização do Orçamento”, afirmou Tatto.

O deputado ressaltou que este ano será entregue uma cópia do relatório das audiências a todos os candidatos a governador nas eleições de outubro. Isto porque será o novo governador que irá executar o Orçamento que está sendo discutindo agora em 2010.

Prefeitos reiteram reivindicações

O prefeito de São Carlos, Osvaldo Duarte Batista (Barba), do PT, denunciou a discrepância nos investimentos feitos pelo governo tucano entre os municípios do Estado. Em um levantamento com dados oficiais, foi apurado que, se for dividido todos os recursos que o poder estadual investe em São Carlos pelo número de habitantes, a cifra é de menos de R$ 9 por munícipe/ano.

Diferentemente do que acontece com cidades administradas pelos partidos PSDB e PMDB. Em Piracicaba (PSDB), são R$ 150 por habitante/ano; Sertãozinho (PSDB) R$ 43; Araraquara (PMDB) 27; Rio Claro (PMDB) R$ 11.

Além disso, de todos os investimentos feitos em São Carlos, 62% são provenientes do governo federal; 29% do município; 7% da iniciativa privada e apenas 2% do governo estadual.

Osvaldo Barba, também, subiu a tribuna para reiterar as solicitações apresentadas no ano  e que não foram atendidas, como: instalação do Ambulatório de Especialidades (AME); ampliação do aeroporto; duplicação da rodovia SP 318 (que se estende até São José do Rio Preto); investimento para atender a Santa Casa local; recursos para recapeamento de vias públicas.

Também o prefeito de Nova Europa, Valter Figueiredo, do PT, fez um apelo para que as reivindicações dos pequenos municípios sejam melhor atendidas pelo governo do Estado. “Nova Europa tem 10 mil habitantes, mas nós, cidades menores, também contribuímos para o Estado e para a nação e juntos somos um grande montante, merecemos todo respeito”, desabafou o prefeito.

Vereadores de São Carlos também persistiram em reapresentar as solicitações dos anos anteriores que ainda não foram contempladas, como o caso da ampliação do aeroporto, de mais recursos para saúde e para melhorias nas rodovias vicinais. O vereador Avelino, de Itápolis, participou reiterando que seja efetivada uma solução para problemas na saúde, implantação de centros de qualificação de mão de obra e política de atendimento aos idosos.

Como em todas as outras audiências realizadas este ano, representantes dos servidores públicos estaduais ativos e inativos apresentaram suas reivindicações por melhores condições de trabalho, recursos materiais e humanos e implantação de uma política salarial.

A próxima audiência da Comissão de Finanças e Orçamento da Assembleia ocorre na na segunda-feira (14/6), na Câmara Municipal de Rio Claro, às 10 horas.

A população pode participar do processo de discussão do Orçamento, mesmo sem estar presente. Basta enviar sugestões para a aplicação dos recursos estaduais e propostas de emenda ao orçamento, até 30 de setembro, por meio do site da Assembleia: http://www.al.sp.gov.br/ – clique no link Audiências Públicas Orçamento 2011.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.