São Paulo vive escalada do crime

01/04/2013

Insegurança pública

Violência aflige áreas ricas e pobres de São Paulo

A violência aflige áreas ricas e pobres da capital paulista. Nas áreas nobres, arrastões de criminosos em prédios residenciais se repetem e na periferia a concentração de homicídios se mantém e ganha novos contornos com a confirmação do envolvimento de policiais em alguns desses crimes.

E apesar de viver uma escalada do crime – em fevereiro, o número de mortes cresceu 14% em relação 2012 -, a Secretaria de Segurança Pública nega isso e argumenta que os índices de homicídios caem desde dezembro, se considerada a comparação com meses antecedentes. “Apesar de ter havido aumento no comparativo com o mesmo período de 2012, parece haver uma tendência de queda”, argumenta, citando a taxa atual de 11,67 homicídios por grupo de 100 mil habitantes como “a mais baixa do país”.

Entretanto, para a Organização das Nações Unidas, o índice acima de 10 homicídios para cada 100 mil habitantes é considerada uma taxa epidêmica.

Em fevereiro deste ano, as regiões da capital com maiores índices de homicídios foram Capão Redondo, Parque Santo Antônio e Jardim Taboão, todos na Zona Sul, e Cidade Tiradentes, na Zona Leste. No geral, os casos passaram de 78, em fevereiro de 2012, para 89, neste ano. Na capital também cresceram os casos de furto (4,2%) e roubo (1%), mas caíram os roubos de carros (-1,3%) e bancos (-40%).

*com informações do jornal O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *