Se depender dos tucanos, nem em 60 anos São Paulo consegue zerar déficit de moradias

15/09/2010 14:44:00

Habitação

 

 

Diante de um déficit habitacional de 1,2 milhão de moradias no Estado, o governo tucano de São Paulo constrói quase nada e ainda não prioriza o programa Minha Casa Minha Vida.

Em seis anos, a gestão Geraldo Alckmin construiu uma média de apenas 15 mil moradias por ano. Com estes números, seriam necessários 60 anos para zerar o déficit do Estado.

Somente de 2003 a 2006, o governo Alckmin deixou de construir 137 mil casas, em comparação com a meta estabelecida. Isto significa que não foi cumprida 63%  da meta prevista, que era de 216.730.

Isto é recorrente nos governos tucanos do Estado. O governo Serra também não cumpriu nem a metade do que prometeu (45%). A promessa da sua gestão era de que seriam construídas 105 mil novas unidades, foram feitas apenas 57.053.

Serra, durante seus três anos de governo, deixou de investir  mais de R$ 820 milhões do total previsto em Orçamento. Este recurso seria suficiente para construir 13.600 casas populares ao custo unitário de R$ 60 mil.

Só em 2009, a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) deixou de investir R$ 411 milhões e, entre 2001 e 2009, a companhia não utilizou R$ 3,5 bilhões dos recursos previsto nos orçamentos anuais.

Tucanos não priorizam  Minha Casa Minha Vida

Durante os 15 anos do PSDB em São Paulo, a CDHU construiu apenas 301.734 unidades. Enquanto isso, o programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, já contratou para São Paulo 110 mil moradias (dados até 28/8/2010).

De um milhão de moradias previstas no Minha Casa Minha Vida, 184 mil estão previstas para São Paulo e, deste total, apenas 13 mil serão construídas em parceria com o governo estadual – menos de 8% do total.  Isto porque demorou um ano para a CDHU aderir ao programa e assinar o primeiro convênio.

Moradia para idoso só na propaganda

O governo Serra fez enorme propaganda, em 2009, do programa Vila Dignidade, destinado para a população idosa. Porém, até o final do ano passado, foram entregues apenas 22 moradias.

Outros programas também apresentam números inexpressivos, como é o caso do Moradia Rural, com três casas; moradias para indígenas, 50 unidades; crédito associativo, 493.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.