Secretário se recusa a falar sobre Plano Estadual de Educação

26/08/2015

Fugiu

Nessa terça-feira (25/8), o secretário da Educação, Herman Voorwald, esteve na Comissão de Educação e Cultura, na Assembleia Legislativa, para prestação de contas referente às ações do Estado. Em sua fala inicial, de modo inusitado, o secretário avisou aos presentes que não falaria sobre educação e sim sobre a crise econômica. Interpelado sobre o Plano Estadual de Educação, o secretário disse que esse assunto seria discutido apenas na audiência pública sobre a questão.

O deputado Geraldo Cruz, líder da Bancada do PT, questionou o secretário, já que os comentários sobre a crise não representavam uma prestação de contas, uma vez que o mesmo não havia disponibilizado informações concretas sobre a atual situação da educação no Estado. “Não negamos que os desafios são muitos no nosso país, e qual é a ação que a secretaria tem feito para enfrentar esse momento? Ou será que novamente os professores e os alunos das escolas públicas serão penalizados? Fica evidente a falta de esforço do governo do Estado para estruturar a educação pública”, afirmou o deputado Geraldo.

O parlamentar reforçou da importância em se apresentar e justificar na casa de leis a aplicação dos recursos públicos existentes e que um balanço seria fundamental.

O auditório Tiradentes ficou completamente lotado com representantes da educação, como a APEOESP e muitos funcionários das secretaria da educação. O questionamento do público foi limitada em três participações, dentre elas da presidente da APEOESP, Maria Isabel Noronha (Bebel), que em sua fala destacou diversas questões ainda sem solução, desde a greve passada como a falta de água nas escolas, os profissionais da categoria “O”, o processo de aposentadoria e o Plano Estadual de Educação. Em seguida, Ângela Meyer, da União Paulista dos Estudantes Secundaristas, alertou para a violência, o racismo e o preconceito em relação às questões de gênero nas escolas, pedindo providências para o secretário.

“A Educação em São Paulo é uma fraude”

O deputado João Paulo Rillo, primeiramente, protestou contra a falta de respeito com os presentes por não haver a mudança de auditório para que as pessoas pudessem acompanhar a prestação de contas com mais conforto. O parlamentar também questionou o secretário sobre o prazo para o debate democrático do Plano Estadual de Educação. A proposta do governo tramita em regime de urgência e outras duas propostas, uma do Fórum Estadual de Educação, subscrita pela bancada de deputados do PT, também foram apresentadas.

“Não dá para aceitar a inoperância e a falta de proposta do governo estadual para a educação. O governo estadual não tem uma política educacional para o estado de São Paulo é isso o que estamos vendo nessa “prestação de contas” que não apresentou nada para quem veio participar”, contestou o parlamentar. (PR)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *