Seguradoras proíbem caminhões no trecho sul do Rodoanel

Com informações da Folha Online

 

A falta de iluminação e de policiamento já estão afastando os caminhoneiros do trecho sul do Rodoanel, inaugurado às pressas e inacabado no início de abril pelo governo do Estado.

 

São ao menos 16 km sem sinal de celular em estrada quase deserta e escura.

 

Empresas de gerenciamento de risco, inclusive, passaram a vetar o uso do trecho sul por transportadoras de carga. Pelo menos três alertaram seus clientes.

 

Não há como assegurar que nada aconteça em uma estrada cheia de áreas de sombra (onde celular não pega), diz a associação das gerenciadoras de risco.

 

“Quando a carga é considerada valiosa, como eletroeletrônicos, pneus e cobre, nós estamos proibindo o tráfego à noite pelo trecho sul”, diz Cyro Buonavoglia, presidente da Gristec (associação de gerenciadoras).

 

A entidade reúne quase cem companhias.

 

Marcelo Brandão, diretor em uma empresa do setor, a Columbia, diz que orienta seus clientes a usar a av. dos Bandeirantes. A restrição atinge principalmente cargas acima de R$ 100 mil.

 

A Gab Transportes toma a mesma precaução.

 

No início do mês, o Setcesp (sindicato das transportadoras de carga) pediu mais presença da polícia. Há duas bases policiais nos 61 km.

 

Os caminhoneiros ainda dizem que dos dois lados da estrada também existem algumas vicinais que poucos conhecem. Após um assalto, podem virar rotas de fugas.

 

“A sensação é de estrada abandonada. Nenhuma outra do Estado está assim”

afirma Cyro Buonavoglia.

 

O motorista autônomo Nivaldo Aparecido Quepe, 31, relata ser uma vítima da insegurança. Ele conta que um problema no motor do caminhão o fez parar no acostamento à noite. Dois homens armados saíram do mato e lhe roubaram R$ 400, dois celulares e um Nextel. “Ali, agora, só de dia.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *