Sem-terras lotam a Assembléia para dizer não ao projeto do governador

26/09/2007 18:03:00

Reforma Agrária

Crédito:

Mais de quatrocentos trabalhadores rurais da região do Pontal de Paranapanema participaram do ato em 26/09, da Frente Parlamentar pela Reforma Agrária em protesto ao projeto de lei do governador José Serra que objetiva legalizar terras griladas, na Assembléia Legislativa.

“O objetivo deste ato é debater o projeto na perspectiva do povo, uma vez que o governador Serra apenas ouviu uma pequena parcela da população que são os grileiros da região do Pontal, representados pela UDR, e que só têm interesse privado”, afirmou o líder da Bancada do PT e coordenador da Frente, Simão Pedro.

O líder explicou que “a Bancada do PT se opõe vigorosamente a este projeto que é inconstitucional e injusto e não alavanca o desenvolvimento local ao abrir as terras públicas para os usineiros do etanol. Nós já avisamos ao presidente desta Casa que este projeto não tem acordo. Vamos obstruí-lo”,

O projeto em discussão é o PL 578 de 2007, de iniciativa do Governador do Estado, que trata da regularização de posse de terras com área superior a 500 hectares no oeste do Estado.

O deputado petista Mário Reali salientou que “o PL vai na contramão do todo o processo de reforma agrária do país, que visa a terra melhor distribuída e não concentrada nas mãos de poucos”.

Falando em nome dos trabalhadores, Clédson Mendes do MST, disse que “o projeto de autoria de José Serra é um abuso, uma forma de autoritarismo, porque não ouviu os trabalhadores sem terra para sua elaboração e só atende as interesses dos grandes usineiros”. “Em uma área na qual poderiam ser assentadas 25 mil famílias, ou seja, 100 mil pessoas, o governo quer entregar para apenas alguns (200 grileiros)”, afirmou Clédson.

Ao final, o deputado Simão Pedro propôs que a Frente Parlamentar pela Reforma Agrária faça reuniões semanais até “que conseguirmos que se retire este projeto”.

Participaram do ato, també, Marco Antonio Pimentel (Secretário pela Luta da Terra e a Reforma Agrária); Dorival de Souza (MLST); Sônia Moraes (ABRA);

Irmã Alberta (CPT); Valdomiro Cordeiro (FETAESP); Elieser Mariano da Cunha (INTERSINDICAL) e os deputados José Cândido (PT), Ana do Carmo (PT), Hamilton Pereira (PT), Raul Marcelo (PSOL) e Carlos Gianazzi (PSOL).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.