Sistema de arrecadação do Metrô, CPTM e SPTrans será privatizado e tarifas devem aumentar

14/05/2009 18:45:00

Privatizações

 

 

Ao anunciar o Bilhete Integrado Metropolitano (BIM) para Região Metropolitana de São Paulo, o governo do Estado e a prefeitura de São Paulo explicitam que a empresa que vencer a concessão terá que assumir integralmente os sistemas de arrecadação do Metrô, da CPTM – Companhia Metropolitana Paulista de Trens Metropolitanos – e da SPTrans – São Paulo Transportes, que administra os ônibus na capital.

Este sistema tríplice arrecada anualmente cerca de R$ 4,6 bilhões por ano e gerencia 14.778 ônibus e 242 trens.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo (14/5), o consultor em engenharia e tráfego, Luís Célio Bottura, advertiu que os preços das tarifas devem subir, se o governo não tiver cuidado na elaboração do contrato. “Faço uma comparação com o que acontece nas estradas concedidas à iniciativa privada: estão, geralmente, em melhores condições do que as que ficam sob responsabilidade do governo, mas os pedágios têm preço bem mais altos. Algo semelhante deve acontecer nos serviços de transporte, se não houver cuidado nessa fase contratual, que dever ser acompanhada de perto por agências reguladoras”.

Bottura ressalta que a população já pagou uma vez pelos investimentos realizados pela Prefeitura desde 2004 para adotar o bilhete único eletrônico. “Agora, provavelmente vai pagar de novo, já que a empresa vencedora deve declarar os R$ 200 milhões de indenização como despesa de investimento e repassar ao valor das tarifas.”

Para a Bancada do PT, o Estado de São Paulo carece de um sistema integrado de planejamento de transporte público.  O governo do PSDB não foi capaz de implantar o Bilhete Único, na forma como foi feita na cidade de São Paulo pela gestão petista de Marta Suplicy.  O prefeito Gilberto Kassab, tem apenas destruído o sistema, não fazendo os corredores nem terminais que melhorariam o transporte municipal. No ano de 2008,  dos R$ 59,8 milhões orçados foram gastos apenas R$ 20,1 milhões na  instalação e manutenção de corredores. Somente 31% do orçamento de R$ 1,2 bilhão previsto para a área neste ano, estão disponíveis, R$ 325,4 milhões foram congelados e o restante está comprometido com pagamentos para manutenção da tarifa municipal. 

Leia abaixo as matérias publicadas pelo jornal O Estado de São Paulo, em 14/5.

Sistema será totalmente terceirizado

Bilhete integrado de SP terá licitação deR$ 510 milhões

Leia também:

Terceirização das bilheterias do Metrô, CPTM e SPTrans

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *